sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Treinador completa 10 anos de categorias de base no São Luiz

Rafael Rodrigues, com 10 anos no EC São Luiz, mantém projeto vitorioso com a Escolinha de Futebol Feminino do clube. Foto: divulgação.
O treinador das Categorias de Base do Esporte Clube São Luiz Rafael Rodrigues, completa hoje (05/02/2016) 10 anos de serviço ao Esporte Clube São Luiz. Rafael começou em 2006, trabalhando como auxiliar na Escolinha do Rubro, na categoria Pré-mirim e mirim. Em 2007, iniciou seus trabalhos como preparador Físico na Categoria Juvenil do Clube que começou a disputar o Estadual da categoria. No ano seguinte, em 2008 trabalhou novamente como Preparador Físico da equipe Juvenil, no qual estava o atleta Fabiano Leismann, hoje atleta do Cruzeiro de Minas Gerais.

Rafael Rodrigues também passou por um período de estágios com preparador físico Carlos Alberto Bedin, o Gamarra, e Luciano Nagel, quando ambos trabalhavam no Clube. Participou de alguns cursos voltados ao Futebol com profissionais do futebol brasileiro, entre eles Valdir Espinosa, que trabalhou em diversos clubes pelo país, Roger Machado, que ano passado fez um excelente trabalho com o Grêmio, Claudio Taffarel goleiro da Seleção Brasileira, e hoje preparador de Goleiros do Galatasaray da Seleção Brasileira, Fábio Mahseredjian preparador Físico do Corinthians e da Seleção Brasileira, Julinho Camargo que trabalhou durante anos com categorias de base, que atualmente trabalha em equipes profissionais do futebol Brasileiro, entre outros profissionais.

Em 2010 iniciou um Projeto de Futebol Feminino no Clube, no qual Rafael Rodrigues é um dos idealizadores juntamente com o coordenador das categorias de base, Adílson dos Reis. Em 2015 em comemoração aos 05 anos da categoria feminina do Rubro, foi realizado um evento com participação de quatro atletas que jogam futsal Europeu, entre eles o atleta Felipe Paradynski, jogador com passagem pela Seleção Brasileira, que defende a equipe do Palma Futsal, da Espanha, Luciléia Minuzzo, jogadora da Seleção Brasileira, eleita a melhor jogadora de Futsal do Mundo, que defende a equipe da Lazio da Itália, Iuri Scheleski, jogador que defende a equipe do Augusta da Itália e a atleta Tainã Santos, jogadora com passagem pelo Futsal russo, espanhol, inglês que atualmente defende a equipe do Cagliari da Itália.

Em 2016 Rafael Rodrigues continua trabalhando com a Escolinha Feminina do Esporte Clube São Luiz, e com a categoria Pré-Mirim, buscando sempre a aprendizagem e a qualificação sobre o Futebol, que está sempre em evolução, surgindo novas metodologias de treinamentos.

Divulgação

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Gauchão, 2a. rodada

Quarta, 3/2

Lajeadense sai na frente dom Erik (foto), mas Ju virou e venceu. Foto: página Facebook CE Lajeadense.
Lajeadense 1 x 3 Juventude - Alviazul, em Lajeado
Arbitragem: Roger Goulart, com José Javel Silveira e Julio Cesar dos Santos.
Cartões amarelos: Lauro (L); Neguete, Pereira, Heverton, Mailson, Dieguinho, Duda (J).
Gols: Erik 12/1T (L); Brenner 30/1T, 6 e 21 (pênalti)/2T (J).
Lajeadense: Lauro, Rodrigo Vareta, Léo, Edson, Higor; Marabá, Reinaldo, Diego Miranda (Quaresma), Murilo (Giovani); Juninho (Bahia) e Erik. Téc.: Rodrigo Carpegiani
Juventude: Elias, Neguete (Sananduva), Pereira, Heverton, Pará, Vacaria, Itaqui, Dieguinho, Felipe Lima (Ruan), Mailson, Brenner (Bruno Ribeiro). Tec.: Antônio Carlos Zago

No ADV, nada de gols para VEC e NH. Foto: Fcebook VEC.
Veranópolis 0 x 0 Novo Hamburgo - Antônio David Farina, em Veranópolis
Arbitragem: Francisco Silva Neto, com Rafael Alves e Gustavo Marin.
Cartões amarelos: Washington e Zambi (V); Ruan (NH).
Veranópolis: Léo Rodrigues; Igor Basel, Micael, Léo Dagostini e Lucio; Felipe Guedes, Massari, Admilton (Ronaldo) e Zambi; Washington (Julio Madureira) e Edson (Lê). Técnico: Luiz Carlos Winck
Novo Hamburgo: Jandrei; Celsinho, Diego Macedo, André Paulino e Ruan; Amaral, Preto, Juninho (Mazinho) e Anderson Paraíba (Kiros); Robinho e Saldanha (Jonathan). Técnico: Gerson Gusmão

Após 2 anos, São Paulo volta a vencer em casa pelo Gauchão. Foto: Guilherme Rajão/SC São Paulo
São Paulo 2 x 1 Glória - Aldo Dapuzzo, em Rio Grande
Arbitragem: Lucas Guimarães Horn, com Lucio Beiersdorf Flor e José Eduardo Bernardi.
Gols: Rafael Pilões 34 e Julio Abu 40/1T (SP); Giancarlo 30/2T (G).
São Paulo: Deivity; Raullen, Fernando PInto, Luiz Asman e Romano; Henrique, Thiago Corrêa (Mikael), Guto Dresh, Julio Abú e Athos (Goiano); Rafael Pilões (Reinaldo). Técnico: Hélio Vieira.
Glória: Simão; John Lennon, Danilo Mendes , Alisson e Marcio Goiano; Luanderson, Elyeser (Germano), Cleiton, Elton, Calyson, Vinicius Chimbica (Giancarlo) . Técnico: Clemer.

Nova goleada sofrida pelo Passo Fundo: 4 a 0 para o Canarinno, em Erechim e queda do técnico Ben Hur Pereira. Foto:Tiago Carneiro- Assessoria ECPF 
Ypiranga 4 x 0 Passo Fundo - Colosso da Lagoa, em Erechim
Arbitragem: Douglas Silva, com Carlos Selbach e Max Augusto Vioni
Catões amarelos: Wesley, Robson (Y); Márcio Nunes, Jean Silva, Nata, Thiago Machado (PF)
Gols: Robson 11 e João Paulo 38/1T; João Paulo 4 e Jardel 7/2T.
Ypiranga: Carlão, Márcio Lima, Negretti, Wesley, Laerte; Jessé, Jardel (Rodolfo), Danilo (Wesley Oliveira), Tulio Renan; Robson (Jucemar), João Paulo. Téc, Leocir Dall'Astra
Passo Fundo: Matheus; Thiago Machado, Gustavo, Márcio Nunes, Alisson Gaúcho; Rudiero, Dudu Mandai (Rennan), Branquinho, Jean Silva (Lucas Roggia); Nata, Jean Carlo (Hyantony). Tec. Ben Hur Pereira

São José e Inter empataram sem gols no Passo da Areia, em jogo que valia também pela Recopa Gaúcha, vencida pelo Colorado, nos pênaltis. Foto: site oficial EC São José.
São José 0 x 0 Inter - Passo da Areia, em Porto Alegre
Arbitragem: Márcio Coruja, com Leirson Peng Martins e Antônio Albornoz.
Cartões Amarelos: Bindé, David, Alberto e Jô (SJ); D’Alessandro (I)
São José: Fábio; Bindé, Claudinho, Éverton Alemão e David; Alberto (Cleylton), Fred, Rafinha (Clayton) e Diego Torres; Jô (Guilherme Augusto) e Heliardo
Técnico: China Balbino
Inter: Alisson; William, Paulão, Réver, Artur; Fernando Bob, Rodrigo Dourado, Anderson (Marquinhos), D’Alessandro (Alex); Vitinho e Sasha (Bruno Baio)
Técnico: Argel Fucks
Obs.: o jogo foi válido também pela Recopa Gaúcha, que reúne o campeão gaúcho e o campeão da Supercopa Gaúcha. Nos pênaltis, o Inter venceu por 3 a 2.


Quinta, 4/2
Indio Capilé abriu o placar, mas sucumbiu diante do Grêmio: 3 a 1. Foto: Lucas Uebe/Grêmio.
Grêmio 3 x 1 Aimoré - Estádio do Vale, em Novo Hamburgo (o Grêmio perdeu o mando de campo)
Arbitragem: Daniel Nobre Bins, com Élio Nepomuceno de Andrade Jr e Luiza Naujorks Reis.
Cartões amarelos: Bruno Araújo, Donato e Toto (Aimoré)
Gols: Éverton 35/1T; Luan 14 e Fernandinho 33/2T (G); Elias 23/1T (A)
Grêmio: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Geromel, Kadu e Marcelo Oliveira; Wallace, Maicon, Éverton, Douglas (Lincoln) e Pedro Rocha (Fernandinho); Luan (Bobô)
Técnico: Roger Machado
Aimoré: Alessandro; Mateus Norton, Diego Rocha, Donato e Gabriel (Igor Fiúza); Toto, Danilo Goiano, Bruno Araújo (Talysson), Elias e João Henrique; César Santin (Diego Viana)
Técnico: Abel Ribeiro

Jogo disputado, duas expulsões e dois gols no empate entre Cruzeiro e Brasil, em Gravataí; Foto: Lucas Velho.
Cruzeiro 1 x 1 Brasil - Antônio Vieira Ramos, em Gravataí
Arbitragem: Leandro Vuaden, com José Calza e Tiago Diel.
Cartões amarelos: Reinaldo, Matheus (Cruzeiro); Teco, Felipe Garcia e Cleverson (Brasil)
Cartões vermelhos: Matheus (Cruzeiro); Teco (Brasil)
Gols: Caion 14/1T (C); Nena 10/2T (B)
Cruzeiro: Andrey, Rodrigo Hefner, André Ribeiro, Vladimir (Chiquinho) e Tauan; Benhur, Raymond, Reinaldo e Tiago Alagoano; Caion (Vinicius) e Matheus. Técnico: Luis Antônio Zaluar
Brasil: Eduardo Martini, Wender, Leandro Camilo, Teco e Xaro; Leandro Leite, Washington, Moisés (Felipe Garcia), Diogo Oliveira (Marcos Paraná), Nena e Cleverson (Ramon). Técnico: Rogério Zimmermann

Passo Fundo: dois jogos, duas derrotas e Ben Hur Pereira cai

Beh Hur Pereira não resistiu à duas derrotas no início do Gauchão. Foto:Tiago Carneiro- Assessoria ECPF 
Duas derrotas em dois jogos no Gauchão foram suficientes para derrubar Ben Hur Pereira do comando do Passo Fundo. Os 3 a 0 em casa do São José, domingo, e os 4 a 0 do Ypiranga, nesta quarta, fizerem com que o técnico colocasse o cargo à disposição da direção do clube. Aproveitando a situação, o Passo Fundo decidiu dispensar o treinador.  Junto com Ben Hur, estão dispensados toda a comissão técnica e o Gerente de Futebol Mauricio Piovesan.

Nessa quinta, 4, a direção fez reuniões durante o dia, em uma delas entraram em acordo pessoal com o preparador físico Paulo Gilberto, que continuará no clube e comandará o treino da tarde de quinta. Além do preparador físico, o treinador de goleiros Samuel Vettorazzi, o auxiliar Clodoaldo Oliveira e o massagista Luciano Hilleshiem, que foram contratados pessoalmente pela direção, continuarão no clube.

Nessa sexta, 5, o clube fará a apresentação do novo técnico e auxiliar. A chegada dos novos nomes está prevista para às 10h, na sala de imprensa do Vermelhão da Serra, onde prestarão coletiva.

Atualização, 20h30: confirmada a contratação de Paulo Porto como técnico e Alessandro Telles como auxiliar.

Com colaboração da Assessoria do EC Passo Fundo.

sábado, 30 de janeiro de 2016

Gauchão - 1a. rodada

30/01 - sábado
Cumprindo perda de mando de campo, Glória (branco) venceu o Veranópolis em Farroupilha. Foto: Assesoria do GE Glória (via Flickr)
* Glória 3 x 1 Veranópolis - Castanheiras (Farroupilha) - o Glória perdeu o mando de campo
Árbitro: Leandro Vuaden
Auxiliares: Maurício Pena e André Bottencourt
Gols: Cleiton 10, Jhon Lenon 31 e Éder (pènalti) 44/1T (G); Ígor 15/1T (V).
Glória: Rafael; John Lennon (Basso), Danilo, Alisson e Márcio Goiano; Luanderson, PV (Emerson Dantas), Calyson, Cleiton e Eder (Dudu); Vinicius. Tec.: Clemer
Veranópolis: Léo Rodrigues, Igor, Michael, Léo Dagostini e Massari; Felipe Guedes, Willian Favoni (Ronaldo), Washington (Julio Madureira) e Zambi; Reginaldo Júnior (Márcio Joantan) e Edson. Tec.: Luiz Carlos Winck

São Paulo lutou, mas o Juventude levou a vitória. Foto: SC São Paulo - divulgação (Facebook).
* Juventude 2 x 1 São Paulo - Alfredo Jaconi (Caxias do Sul)
Árbitro: Francisco Silva Neto
Auxiliares: Élio Nepomuceno e Luiza Reis
Gols: Itaqui 5 e Brenner (pênalti) 25/1T (J); Julio Abu 12/2T (SP)
Juventude: Elias; Duda, Neguete, Heverton e Pará; Vacaria, Itaqui (Sananduva) e Felipe Lima (Guilherme); Dieguinho, Mailson (Dionas Bruno) e Brenner. Técnico: Antônio Carlos Zago.
São Paulo: Deivity; Raulen, Fernando Pinto, Luiz Assman e Romano; Henrique, Thiago Corrêa, Julio Abu e Athos (Alex Goiano); Cidinho (Guto Dresch) e Rafael Pilões (Guto Nervis). Técnico: Hélio Vieira.

31/01 - domingo

Brasil saiu na frente, mas levou a virada em Caxias, campo neutro. Foto: Jonathan Silva.
* Brasil 1 x 3 Grêmio - Centenário (Caxias do Sul) - o Brasil perdeu o mando de campo
Árbitro: Luiz Teixeira Rocha
Auxiliares: Rafael Alves e Julio Cesar dos Santos
Cartões amarelos: Washington, Leandro Camilo, Teco (B); Wallace Oliveira, Maicon, Kadu, Edinho, Marcelo Grohe (G)
Gols: Cleverson 8/1T (B); Luan 43/1T, Éverton 2 e Pedro Rocha 14/2T (G)
Brasil: Eduardo Martini, Wender, Leandro Camilo, Teco e Xaro; Leandro Leite, Washington, Moisés e Diogo Oliveira; Cleverson (Ramon) e Nena (Marcos Paraná). Técnico: Rogério Zimmermann
Grêmio: Marcelo Grohe; Wallace Oliveira, Pedro Geromel, Kadu e Marcelo Oliveira; Walace, Edinho (Pedro Rocha), Maicon (Moisés), Douglas e Everton; Luan (Bobô). Técnico: Roger Machado

* Inter x Ypiranga - Beira Rio (Porto Alegre)
Árbitro: Daniel Soder
Auxiliares: Lucio Beiersdorf Flor e Tiago Kappes Diel
JOGO ADIADO DEVIDO AOS PROBLEMAS DECORRENTES DO TEMPORAL OCORRIDO NA SEXTA-FEIRA.

Anilado venceu o Cruzeiro no Vale dos Sinos. Foto: José Haag.
* Novo Hamburgo 2 x 0 Cruzeiro - Estádio do Vale (Novo Hamburgo)
Árbitro: Jonathan Pinheiro
Auxiliares: Jorge Bernardi e Fabrício Baseggio
Gols: Robinho 23 e Kiros 27/2T.
Novo Hamburgo: Jandrei; Celsinho, Diego Macedo, André Paulino e Ruan (Jonathan); Amaral, Preto, Juninho (Mazinho) e Anderson Paraíba (Kiros); Robinho e Saldanha
Técnico: Gerson Gusmão
Cruzeiro : Andrey; João Carlos, André Ribeiro, Vladimir e Jefferson Sandes; Raymond, Paraná (Elton), Reinaldo e Juninho Tardelli (Vinicius); Matheus (Thiago Alagoano) e Caion
Técnico: Luiz Antônio Zaluar

São José precisou somente do primeiro tempo para vencer o Passo Fundo no Planalto. Foto: Alex Borgamnn
* Passo Fundo 0 x 3 São José - Vermelhão da Serra (Passo Fundo)
Árbitro: Jean Pierre Lima
Auxiliares: José Javel Silveira e Michael Stanislau
Gols: Heliardo 8, Wagner 20 e Heliardo 36/1T.
Cartão vermelho: Wagner (SJ)
Passo Fundo: Mateus; Tiago Machado, Lino, Márcio Nunes e Rudiero; Brida, Dudu (Branquinho), Nata (João Vitor) e Hyantony; Renan Oliveira (Jean Carlos) e Jean Silva. Técnico: Ben Hur Pereira
São José: Fábio; Bindé, Claudinho, Wagner (expulso aos 22/2º Tempo) e David; Alberto, Fred, Diego Torres (Cleylton) e Rafinha (Clayton); Jô e Heliardo (Carrilho). Técnico: China Balbino

* Aimoré x Lajeadense - Cristo Rei (São Leopoldo)
Árbitro: Vinicius Amaral
Auxiliares: José Calza e Alduino Mocelin
JOGO ADIADO - QUEDA DE MURO NO ESTÁDIO

Gauchão 2016

PRIMEIRA FASE
Turno único; classificam-se os oito primeiros para as quartas-de-final. Os três últimos serão rebaixados.

1a. rodada
30/01
Juventude 2 x 1 São Paulo
Glória 3 x 1 Veranópolis
31/01
Brasil 1 x 3 Grêmio
Novo Hamburgo 2 x 0 Cruzeiro
Passo Fundo 0 x 3 São José
06/02
Aimoré x Lajeadense
07/02
Inter x Ypiranga

2a. rodada
03/02
São José x Inter
Lajedense x Juventude
Veranópolis x Novo Hamburgo
Ypiranga x Passo Fundo
São Paulo x Glória
04/02
Grêmio x Aimoré
Cruzeiro x Brasil

3a. rodada
07/02
São José x Cruzeiro
10/02
Veranópolis x Grêmio
Juventude x Aimoré
Brasil x Ypiranga
Novo Hamburgo x Glória
Lajeadense x São Paulo
11/02
Inter x Passo Fundo

4a. rodada
12/02
Grêmio x São José
13/02
Cruzeiro x Juventude
Glória x Brasil
14/02
Aimoré x Inter
Ypiranga x Veranópolis
São Paulo x Novo Hamburgo
Passo Fundo x Lajeadense

5a. rodada
19/02
São José x Ypiranga
20/02
Inter x Cruzeiro
21/02
Grêmio x Lajeadense
Juventude x Passo Fundo
Veranópolis x São Paulo
Aimoré x Glória
Lajeadense x Brasil

6a. rodada
24/02
Inter x Veranópolis
São Paulo x Grêmio
Ypiranga x Juventude
Brasil x Aimoré
Novo Hamburgo x Passo Fundo
Lajeadense x São José
Glória x Cruzeiro

7a. rodada
27/02
Grêmio x Glória
São Paulo x Brasil
28/02
Juventude x Inter
Novo Hamburgo x Ypiranga
Aimoré x São José
Passo Fundo x Veranópolis
Cruzeiro x Lajeadense

8a. rodada
05/03
São José x Novo Hamburgo
06/03
Grêmio x Inter
Passo Fundo x Cruzeiro
Ypiranga x São Paulo
Brasil x Juventude
Veranópolis x Aimoré
Lajeadense x Glória

9a. rodada
12/03
Cruzeiro x Grêmio
13/03
Inter x São Paulo
Juventude x São José
Glória x Ypiranga
Passo Fundo x Aimoré
Novo Hamburgo x Lajeadense
Brasil x Veranópolis

10a. rodada
19/03
Novo Hamburgo x Brasil
20/03
Ypiranga x Grêmio
Lajeadense x Inter
São José x Veranópolis
Juventude x Gloria
Aimoré x Cruzeiro
São Paulo x Passo Fundo

11a. rodada
26/03
Inter x Novo Hamburgo
27/03
Grêmio x Lajeadense
Veranópolis x Juventude
Brasil x São José
Glória x Passo Fundo
Cruzeiro x São Paulo
Ypiranga x Aimoré

12a. rodada
30/03
Passo Fundo x Grêmio
São José x Glória
Cruzeiro x Ypiranga
Juventude x Novo Hamburgo
Lajeadense x Veranópolis
Aimoré x São Paulo
31/03
Inter x Brasil

13a. rodada
03/04
Grêmio x Juventude
Glória x Inter
Veranópolis x Cruzeiro
Novo Hamburgo x Aimoré
Brasil x Passo Fundo
Ypiranga x Lajeadense
São Paulo x São José

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

Tabelão - EFIPAN 2016

Participantes
Avaí Futebol Clube
Club Atletico Peñarol (Uruguai)
Sport Club Corinthians Paulista
Defensor Sporting Club (Uruguai)
Clube Escolinha de Futebol Flamengo
Grêmio Foot Ball Porto Alegrense
Sport Club Internacional
Joinville Esporte Clube
Esporte Clube Juventude
Esporte Clube São José
Club Atlético 3 de Febrero de Ciudad del Este (Paraguai)
Club Atletico Unión de Santa Fé (Argentina)
São Paulo Futebol Clube

PRIMEIRA FASE
Jogos de clubes um grupo contra clubes do outro grupo. Classificam-se os quatro primeiros para as quartas-de-final, que serão o 1º x 4º e 2º x 3º do mesmo grupo.

16/01
Grêmio 3 x 0 Joinville
17/01
Juventude 0 x 3 São José
Flamengo 6 x 0 3 de Febrero
São Paulo 4 x 0 Unión Santa Fé
Inter 4 x 0 Peñarol

18/01
Joinville 2 x 1 3 de Febrero
Avai 1 x 0 Flamengo
Unión Santa Fé 0 x 4 Grêmio

19/01
Peñarol 1 x 0 São José
Joinville 0 x 1 São Paulo
Avai 0 x 1 Inter

20/01
3 de Febrero 0 x 3 Unión Santa Fé
Flamengo 1 x 1 São Paulo
Inter 3 x 0 Juventude
Grêmio 0 x 1 São José

22/01
Joinville 1 x 3 Juventude
Unión Santa Fé 0 x 5 Peñarol
3 de Febrero 0 x 5 Inter

23/01
São José 0 x 1 Avai
Flamengo 0 x 1 Juventude

24/01
São Paulo 0 x 0 São José
Flamengo 2 x 1 Peñarol
Grêmio 1 x 1 Inter

25/01
Avai 1 x 0 Unión Santa Fé
Peñarol 3 x 1 Joinville
Flamengo 0 x 3 Grêmio

27/01
Unión Santa Fé 0 x 2 Juventude
Joinville 0 x 0 Avai
São José 1 x 1 3 de Febrero
Inter 3 x 1 São Paulo

Grupo A:
1) Grêmio 10 3V 9S
2) Avaí 10 3V 2S
3) Peñarol 9 3V 3S
4) Juventude 9 3V -1S
******************** classificados
5) São Paulo 8
6) 3 de Febrero 1

Grupo B
1) Internacional 16
2) São José 8
3) Flamengo 7
4) Joinville 4
******************** classificados
5) Union Santa Fé 3

QUARTAS-DE-FINAL
Jogam 1º x 4º e 2º x 3º do mesmo grupo.
28/1
Avaí 3 x 3 Peñarol (3 x 2 pênaltis)
Grêmio 1 x 1 Juventude (4 x 2 pênaltis)

29/1
São José 0 x 0 Flamengo (4 x 5 pênaltis)
Inter 9 x 1 Joinville

SEMIFINAIS
Os vencedores dos confrontos 1º x 4º colocados jogam com os vencedores dos confrontos 2º x 3º.
31/1
Avaí 0 x 5 Grêmio
São José 1 x 2 Inter

DECISÃO DO 3º LUGAR
01/02
Avaí x São José

FINAL
01/02
Grêmio 0 x 0 Inter (4 x 2 pênaltis)
Grêmio campeão.

Primeira Liga: Criciúma e Cruzeiro ficam no empate

Já que, por questões profissionais, tive que deixar Porto Alegre e rumar para Araranguá, no vizinho estado de Santa Catarina, aproveitei a oportunidade para conferir a abertura da Primeira Liga, competição que pode ser o início da salvação do futebol brasileiro, na tentativa de fugir das garras das federações/CBF/Globo. A torcida é que dê certo e que se transforme numa liga independente, e que federações e confederação seja apenas de cunho administrativo e cartorial. Vamos ao jogo.

O estádio Heriberto Hülse localiza-se no centro da cidade e próximo à rodoviária, sendo de fácil acesso. Criciúma e Cruzeiro estrearam na Primeira Liga com um empate em 1 a 1, numa partida bem disputada, tendo o desconto que estamos em início de temporada.

Times e arbitragem perfilada durante a execução dos hinos nacional e catarinense. Foto: Alexandro Gomes.
O Cruzeiro começou melhor, atacando com seus laterais Mayke e Fabrício e indo com insistência à linha de fundo e fazendo o cruzamento. O Criciúma se defendia e abusava do lançamento longo para o atacante Roger Guedes. Apesar do visitante ter mais posse de bola, foi o Tigre que levou o primeiro perigo, em conclusão de fora da área de Roger Guedes, para defesa de Fábio.

Cruzeiro começo tendo mais posse de bola e propondo o jogo. Foto: Alexandro Gomes.
 O primeiro gol veio na jogada manjada do Cruzeiro. Fabrício cruzou rasteiro, Willian deixou a bola passar e Alisson, de frente para Luiz, mandou para a rede, aos 14 minutos. O Criciúma reagiu mas contando com a falha da defesa azul. Manoel recuou apertado para Fábio, que por sua vez deixou a bola ir para a linha de fundo. No córner, a defesa afastou, mas Roger Guedes alçou na área, a zaga ficou tirando o impedimento e o zagueiro Diego Giaretta se antecipou ao goleiro para empatar de cabeça, aos 23 minutos.

O gol cruzeirense acordou o Criciúma, que buscou a igualdade no escore logo depois. Foto: Alexandro Gomes.
O Criciúma cresceu e Fábio fez outra grande defesa em cabeceio de Raphael Silva. Uma bola colocada por Marcos Vinícius, de boa movimentação, também assustou o arqueiro criciumense.

O Tigre levou vantagem em lances de bola aérea. Foto: Alexandro Gomes.
Na etapa final, o Cruzeiro tentou impor sua técnica, mas o Criciúma conseguiu neutralizar e armar lances perigosos, principalmente com Wellington Saci. Fábio se transformou em figura do jogo, realizando grandes intervenções, uma delas do próprio Saci, que arriscou da entrada da área. Aos poucos o preparo físico foi caindo e a partida perdeu inyensidade. A última boa chance foi dos mineiros, quando Gabriel Xavier entrou pela direita e bateu duas vezes, uma no goleiro e o rebote por cima.

No segundo tempo o goleiro Fábio foi o destaque com pelo menos três defesas difíceis. Foto: Alexandro Gomes.
Com relação à arbitragem, o trio gaúcho escalado conduziu bem o espetáculo. Charles Martins Lemos é da categoria B de árbitros, que trabalha em partidas da Divisão de Acesso, Segunda Divisão e base. Sem dúvida, foi sua grande chance em nível nacional e com transmissão do SporTV. Com atuação discreta e tranquila, sem gestos espalhafatosos. Marcou com firmeza as infrações e soube se impor. Não tivemos lances duvidosos e os jogadores também colaboraram para isso. Os auxiliares foram do quadro da CBF: José Javel Silveira e Carlos Selbach, também com bom desempenho.

O Criciúma volta à campo no domingo contra o Avaí, em casa, na abertura do Campeonato Catarinense. O Cruzeiro, no mesmo dia, enfrenta a URT, na primeira rodada do Mineiro. Ambas partidas às 17h.

Um bom público nas dependências do Estádio Heriberto Hülse, o Majestoso. Foto: Alexandro Gomes.
O público compareceu em bom número (mais de sete mil pessoas), o que mostra que partidas interessantes e ingresso barato (a arquibancada custava 20 reais) são atrativos. Filas nas bilheterias foram registradas.

Placar do estádio Heriberto Hulse divulgando renda e público. Foto: Alexandro Gomes.

Ficha técnica - Primeira Liga - 1a. rodada

Criciúma 1 x 1 Cruzeiro
Local: Estádio Heriberto Hülse, em Criciúma (SC)
Árbitro: Charles Martins Lemos (RS)
Auxoliares: José Javel Silveira e Carlos Selbach (RS)
Cartões amarelos: Alisson e Bruno Rodrigo (CRU)
Gols: Alisson (CRU) 14 e Diego Giaretta (CRI) 24 /1T.
Renda/Público: R$ 60.835,00/7.040 presentes

CRICIÚMA: Luiz; Ezequiel, Raphael Silva, Diego Giaretta e Marlon; Barreto (Natan), Douglas Moreira, Ricardinho e Wellington Saci (Jefferson); Bruno Lopes (Kalil) e Roger Guedes – Técnico: Roberto Cavalo.

CRUZEIRO: Fábio; Mayke, Manoel, Bruno Rodrigo e Fabrício; Henrique e Ariel Cabral; Arrascaeta (Gabriel Xavier), Marcos Vinícius (Allano) e Alisson (Douglas Coutinho); Willian – Técnico: Deivid.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Amistoso internacional: Cruzeiro empata com o Danubio uruguaio

Cruzeiro perfilado para o amistoso internacional diante do Danubio do Uruguai. Foto: José Haag.
No seu jogo número 88 de caráter internacional, o Cruzeiro empatou em 1 a 1 com o Danubio, do Uruguai, na tarde quente desta segunda-feira (25). Este foi o último teste visando o início do Gauchao 2016, quando o Estrelado vai ao Vale dos Sinos enfrentar o Novo Hamburgo, domingo próximo.

A partida no estádio Vieirao, em Gravataí, foi bastante disputada, típica de um duelo entre brasileiros e uruguaios. O público compareceu em número razoável, visto que o jogo se desenvolveu em dia útil.

Danubio do Uruguai, que veio aos RS fazer três amistosos. Foto: Facebook Danubio Fútbol Club.
Com o placar anunciando 40°C, o jogo começou equilibrado, com muita disputa no setor de meio campo. Aos poucos o Cruzeiro foi tomando as rédeas e arriscando à meta uruguaia. Mas no primeiro lance perigoso do Danubio no ataque, Leandro Sosa arriscou da entrada da área, acertando o ângulo esquerdo e vencendo o goleiro Andrey, abrindo o escore aos 31 minutos.

Em uma renhida pejela, Cruzeiro e Danubio ficaram no 1 a 1. Foto: José Haag.

Entetanto, a vantagem durou pouco. Aos 40, em um bate-rebate incrível na área, Reinado cabeceou e empatou para o Cruzeiro: 1 a 1.

Na etapa final, o ritmo caiu, por conta do calor (que inclusive provocou um temporal) e pela grande quantidade de alterações. Thiago Alagoano chegou a marcar um gol, mas o assistente apontou impedimento. Ao final da partida, o Cruzeiro, devido ao empate, entregou ao Danubio a Taça Integração, como demosntração de bom anfitrião.

Goleiro Andrey entrega a Pablo Lima a Taça Integração ao final do jogo. Foto: Facebook Danubio Fútbol Club.

Ficha técnica - amistoso internacional

Cruzeiro 1 x 1 Danubio (URU)
Local: Estádio Antônio Vieira Ramos, o Vieirão, em Gravataí (RS)
Árbitro: Anderson Farias
Gols: Sosa (D) 31 e Reinaldo (C) 40/1T.

Cruzeiro
Andrey; João Carlos (Araújo), André Ribeiro, Vladimir (Carlão) e Jefferson (Rodrigo Heffner); Reinaldo (Tawan), Raymond (Ben-Hur), Paraná (Vinicius) e Juninho (Chiquinho); Matheus (Elton) e Caion (Thiago Alagoano).
Técnico: Luiz Antônio Zaluar.

Danubio
Silva; Velázquez, De Los Santos, Viera (Cristian González), Lima; Porcile (Ardaiz), Viana (Ricca), Gravi (Peña), Sosa; Tabárez (Zarfino) e Siqueira (Olivera).
Técnico: Luiz González

Os gols e lances do jogo:

domingo, 24 de janeiro de 2016

Cruzeiro de Santiago campeão!

Cruzeiro de Santiago, o grande campeão (pela primeira vez) da Copa Santiago de Futebol Juvenil. Foto: Rafael Nemitz.
Pela primeira vez, o anfitrião levanta a taça. Após 28 edições, o Cruzeiro foi campeão da Copa Santiago de Futebol Juvenil (outrora denominado Romeu Goulart Jacques). Deixou pelo caminho a dupla Gre-Nal e na final derrotou o São Paulo por 1 a 0, gol de Silvano, aos 15 minutos da etapa final. Muita festa antes, durante e depois do jogo no estádio Alceu de Carvalho, que estava lotado na partida deste sábado.

Técnico Airton Fagundes. Foto: Daniel Teixeira.
O Cruzeiro tem tradição na categoria juvenil, sendo participante frequente das competições da FGF da categoria. Para este ano, trouxe 6 jogadores do Fragata, de Pelotas, para compor o grupo, dirigido por Airton Fagundes. Na primeira fase ficou em terceiro no grupo B com 8 pontos, vencendo inclusive o adversário da final, o São Paulo,por 2 a 1.

Nas quartas-de-final e semifinal, duas vitórias por 1 a 0 sobre Inter e Grêmio, respectivamente, levaram o Cruzeiro à final. E o placar se repetiu diante do São Paulo para fazer história na Terra dos Poetas.

O time teve como base William; Lucas, Lauri, Douglas e William Borer; Rafinha, Cristiano, Bertoglio e William; Silvano e Michel. Entre os atletas que atuaram na campanha Jonatan "Bala", Andrei, Pablo, Layon, Deivid, Rick e Patrick.

Silvano foi o autor do gol do título. Foto: Daniel Teixeira.
A campanha do Cruzeiro teve 5 vitórias, 2 empates e uma derrota, com 11 gols marcados e 6 sofridos. Confira os jogos:
- 1 x 1 Criciúma
- 2 x 1 São Paulo
- 3 x 1 3 de Febrero (PAR)
- 1 x 1 Chapecoense
- 1 x 2 Palmeiras
- 1 x 0 Inter
- 1 x 0 Grêmio
- 1 x 0 São Paulo

Os campeões:
1989 - campeão: Nacional. vice: Grêmio
1990 - campeão: Inter; vice: Fluminense
1991 - campeão: Matsubara-PR; vice: Grêmio
1992 - campeão: Inter; vice: Independiente (ARG)
1993 - campeão: Inter; vice: Grêmio
1994 - campeão: Nacional (URU); vice: Seleção Juvenil da China
1995 - campeão: Grêmio; vice: Criciúma
1996 - campeão: Grêmio; vice: Inter
1997 - campeão:Grêmio; vice: Criciúma
1998 - campeão:Grêmio; vice: Criciúma
1999 - campeão: Fluminense; vice: Juventus-SP
2000 - campeão: Grêmio; vice: Cruzeiro-MG
2001 - campeão: Inter; vice: Grêmio
2002 - campeão: Cruzeiro-MG; vice: Vitória-BA
2003 - campeão: Internacional; vice: Atlético-PR
2004 - campeão: Cruzeiro-MG; vice: Vitória-BA
2005 - campeão: Inter; vice: Grêmio
2006 - campeão: Atlético-MG; vice: Atlético-PR
2007 - campeão: Inter. vice: Goiás
2008 - campeão: Grêmio; vice: Inter
2009 - campeão: Inter; vice: América-MG
2010 - campeão: Inter; vice: Gama-DF
2011 - campeão: Inter; vice: Danubio (URU)
2012 - campeão: Inter; vice: Palmeiras
2013 - campeão: Inter; vice: Criciúma
2014 - campeão: Inter; vice: Corinthians
2015 - campeão: Independiente Del Valle (EQU); vice: Avaí-SC
2016 - campeão: Cruzeiro de Santiago; vice: São Paulo-SP

Na História: Caxias 1 x 0 Jamaica - amistoso/1998

Que a SER Caxias amarga tempos ruins, é verdade. Mas não se pode é apagar os grandes momentos vividos pelo clube.

E um deles corresponde ao resgate histórico de hoje. Há exatamente 18 anos, o Grená realizava um amistoso no estádio Centenário. E não um amistos qualquer. O adversário era uma seleção. E mundialista. A Copa de 1998, na França, teria alguns estreantes e uma delas era a Jamaica, país caribenho que na época era treinado pelo brasileiro René Simões.

E os "Reggae Boyz" (com z mesmo), como eram conhecidos os futebolistas jamaicanos, vieram para uma série de amistosos no Brasil e um deles foi em Caxias do Sul, num sábado à tarde, 24 de janeiro de 1998.

O Caxias, treinado por Orlando Bianchinni, tinha no elenco nomes de peso, como o centroavante Washington, o goleiro Gilmar (Dal Pozzo), agora treinador, o meia André Carpes e o atacante Delmer. E com um gol do lateral esquerdo Luciano, o Caxias venceu por 1 a 0. No resgate histórico, confora o gol do jogo:


Confira também a matéria do jornal Pioneiro, da segunda-feira seguinte, 26/1/1998, que apresenta a ficha técnica do amistoso.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Tabelão - Copa Santiago de Futebol Juvenil 2016

Participantes
Associação Atlética Ponte Preta
Associação Chapecoense de Futebol
Atlético Santa Cruz (Bolívia)
Avaí Futebol Clube
Club Atlético 3 de Febrero (Paraguai)
Criciúma Esporte Clube
Cruzeiro Esporte Clube de Santiago
Grêmio Foot Ball Porto Alegrense
São Paulo Futebol Clube
Sociedade Esportiva do Gama
Sociedade Esportiva Palmeiras
Sport Club Internacional

Sede principal: Estádio Alceu Carvalho (Santiago)
Sedes secundárias: Estádio Nery Cardoso (Santiago), Estádio Municipal (Nova Esperança do Sul) e Estádio Municipal (Capão do Cipó)

PRIMEIRA FASE
Grupo A
Inter
Avaí
Gama
Grêmio
Atlético Santa Cruz
Ponte Preta

Grupo B
Palmeiras
São Paulo
Chapecoense
Criciúma
3 de Febrero
Cruzeiro-STG

8/1
Avaí 2x0 Inter
Grêmio 2x2 Ponte Preta
9/1
Atlético Santa Cruz 1x4 Gama (***)
Chapecoense 3x1 3 de Febrero
Cruzeiro-STG 1x1 Criciúma
10/1
Gama 0x3 Avaí (***)
Palmeiras 1x1 São Paulo
Inter 2x1 Grêmio
11/1
Criciúma 2x0 Chapecoense (**)
Ponte Preta 6x0 Atlético Santa Cruz
São Paulo 1x2 Cruzeiro-STG
12/1
3 de Febrero 1x1 Palmeiras (**)
Avaí 1x1 Ponte Preta
Grêmio 4x0 Gama
13/1
Cruzeiro-STG 3x1 3 de Febrero
Palmeiras 2x1 Criciúma
Atlético Santa Cruz 0x3 Inter
14/1
Chapecoense 0x1 São Paulo (**)
Inter 0x1 Ponte Preta
Avaí 1x0 Grêmio
15/1
Criciúma 0x2 3 de Febrero
Cruzeiro-STG 1x1 Chapecoense
16/1
Atlético Santa Cruz 0x6 Avaí (***)
Chapecoense 1x1 Palmeiras 
Gama 0x2 Inter
17/1
São Paulo 4x1 Criciúma (*)
Palmeiras 2x1 Cruzeiro-STG
Grêmio 6x0 Atlético Santa Cruz
18/1
Ponte Preta 1x1 Gama
3 de Febrero 0x0 São Paulo

(*) jogo em Nova Esperança do Sul
(**) jogo no Nery Cardoso em Santiago
(***) jogo em Capão do Cipó

Grupo A
1) Avaí 13
2) Inter 9
3) Ponte Preta 9
4) Grêmio 7
5) Gama 4
6) Atlético Santa Cruz 0

Grupo B
1) Palmeiras 9
2) São PAulo 8
3) Cruzeiro-STG 8
4) Chapecoense 5
5) 3 de Febrero 5
6) Criciúma 4


QUARTAS-DE-FINAL
20/1
Cruzeiro-STG 1x0 Inter
Grêmio 3x1 Palmeiras
21/1
São Paulo 1x0 Ponte Preta
Avaí 1x0 Chapecoense

SEMIFINAIS
22/1
Cruzeiro-STG 1x0 Grêmio
São Paulo 4x3 Avaí

FINAL
23/1
Cruzeiro-STG 1x0 São Paulo
EC Cruzeiro de Santiago campeão pela primeira vez.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Tabelão - amistosos preparatórios para o Gauchão 2016

28/11/15
Cruzeiro 11 x 1 Amovale* (Gravataí)

12/12/15
Cruzeiro 3 x 0 Chaleira* (Canoas) (**)

19/12/15
Inter B 1 x 2 Cruzeiro (**)

21/12/15
Seleção Amadora Bom Retiro do Sul 0 x 5 Lajeadense (**)

22/12/15
Cruzeiro 4 x 0 Sindicato Atletas Profissionais RS (**)

30/12/15
Cruzeiro 1 x 1 Brasil

9/1/16
Barcelona* (Tapejara) 0 x 8 Glória
São Paulo 6 x 0 Sindicato Atletas Profissionais RS
Passo Fundo 0 x 0 Lajeadense

10/1/16
Cruzeiro 3 x 0 Moinhos de Vento FC* (Porto Alegre) (**)
Cruzeiro 0 x 1 Veranópolis

11/1/16
Aimoré x Sindicato Atletas Profissionais RS

12/1/16
Cruzeiro 1 x 1 São Paulo

13/1/16
Inter de Lages-SC 2 x 2 Glória (**)
Atlético de Carazinho 1 x 4 Passo Fundo
Novo Hamburgo 4 x 0 Sindicato Atletas Profissionais RS (**)
São José 10 x 0 Grêmio Alvorada* (Alvorada)

14/1/16
Veranópolis 0 x 0 Brasil (1 x 3 pênaltis) - Torneio da Longevidade
Juventude 1 x 0 Lajeadense - Torneio da Longevidade
Ypiranga 2 x 0 Guarani de Palhoça-SC

16/1/16
Criciúma 1 x 1 Cruzeiro (**)
São Paulo 0 x 0 Aimoré
Novo Hamburgo 2 x 1 Seleção Várzea de Novo Hamburgo
São José 7 x 0 Moinhos de Vento*

17/1/16
Veranópolis 1 x 1 Lajeadense (1 x 4 pênaltis) - Lajeadense 3º lugar
Juventude 1 x 1 Brasil (3 x 2 pênaltis) - Torneio da Longevidade - Juventude campeão
Ypiranga 0 x 0 Glória
Guarani de Palhoça-SC 1 x 3 Passo Fundo
São José 4 x 0 Sindicato Atletas Profissionais RS

18/1/16
Juventude 4 x 2 Avaí-SC (**)

20/1/16
Aimoré 0 x 0 Brasil
São José x Juventude - Juventude cancelou sua participação
Ypiranga 2 x 1 Chapecoense
Criciúma 1 x 2 Novo Hamburgo (**)
Cruzeiro 0x0 Sindicato Atletas Profissionais RS (**)

22/1/16
Brasil 1x0 São Paulo
Cruzeiro (reservas) 8x1 Amovale* (Gravataí) (**)

23/1/16
Lajeadense 3x2 Glória
Chapecoense 1x1 Passo Fundo
Grêmio (reservas) 0x0 Novo Hamburgo (**)

24/1/16
Aimoré 0x1 São José
Ypiranga 1x0 Veranópolis

25/1/15
Cruzeiro x Danubio-URU

(*) clube amador
(**) jogo-treino

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Na História: as "associações" contra a crise nos anos 1970

Não é de agora que fazer futebol no interior é difícil. Poucos recursos, pouco apoio do empresariado local, pouco dinheiro. Assim, se usa a criatividade e a união de esforços para superar a falta dos "pilas".

Na década de 1970, a solução encontrada para driblar a escassez de recursos foram as associações de clubes rivais. Unindo os departamentos de futebol e sem envolver os patrimônios físicos, formavam-se novos times para manter a representatividade da cidade no cenário do futebol gaúcho, direcionando esforços ao invés de dividi-los.

Entretanto, estas associações duraram pouco. A rivalidade falava mais alto e o que parecia uma boa ideia tornou-se um problema. Vamos resgatar algumas destas associações que brotaram no futebol gaúcho.

- Associação Caxias de Futebol

Criada em 14 de dezembro de 1971 na união dos departamentos de futebol de Juventude e Flamengo. Usava uniforme nas cores preto e branco e teve Cláudio Eberle como seu primeiro presidente.

Disputou os campeonatos gaúchos de 1972 até 1975, até que o Juventude resolvesse romper a união. O clube foi reorganizado e tornou-se a atual SER Caxias do Sul. De lembrança ficou a engrenagem no escudo do Caxias, usado no da Associação.

Campanha no Gauchão
1972: 4º lugar
1973: 6º lugar
1974: 4º lugar
1975: 4º lugar

Assim destacou o jornal Pioneiro sobre a fusão de Juventude e Caxias:


- Associação Santa Cruz de Futebol


Em 27 de dezembro de 1973 foia vez dos rivais da Terra do Fumo se unirem para fortalecer o futebol local. Futebol Clube Santa Cruz e Esporte Clube Avenida formaram a Associação Santa Cruz de Futebol, cujas cores inicias foram o amarelo e o azul. Após, com o protesto de dirigentes do Avenida, passou para verde e preto.

Daltro Menezes foi o técnico, levando a boas campanhas té 1976, quando a fusão foi desfeita. Um dos motivos foi que para divulgação era usado o nome Santa Cruz em vez da Associação Santa Cruz, e os dirigentes do Avenida resolveram se afastar.

Campanha no Gauchão:
1974: 6º lugar
1975: 3º lugar
1976: 16º lugar


- Associação Cruz Alta de Futebol (ACAFOL)


Formada pela união do Guarany e do Nacional sendo criada a Associação Cruz Alta de Futebol (ACAFOL), tendo como presidente o desportista Elias Martins. As cores do clube eram o azul e branco. 

A ACAFOL disputou a Copa Governador do Estado de 1972 e 1973, além do Campeonato Gaúcho da Segunda Divisão. Durou apenas dois anos.

Campanha na Copa Governador do Estado
1972: eliminado na primeira fase, sendo 6º no grupo 1
1973: eliminado na primeira fase, sendo 4º no grupo 1

Campanha na Segunda Divisão
1973: vice-campeão


- Associação Esportiva Santo Ângelo (AESA)
Fundado em 19 de abril de 1972 reunindo o Tamoio FC e o Grêmio Sportivo Santo-angelense (Grêmio SS) tendo como primeiro presidente Rolando Luís Stümpfle. Duetou ate 1975.

Sua melhor campanha no Gauchão foi em 1973 sob o comando de Francisco Neto, o Chiquinho. O melhor resultado foi um empate em 0 a 0 com o Grêmio, em Porto Alegre.

Gauchão
1973: 11º lugar
1975: 10º lugar

Copa Governador do Estado
1972: 4º lugar
1973: 14º lugar
1974: 3º lugar
1975: eliminado na terceira fase, sendo ultimo no grupo 8


- Associação Atlética Alegrete

Guarany FC e Flamengo FC se uniram para criar a Associação Atlética Alegrete em 20 de fevereiro de 1973. De todas a fusões, foi a que mais durou, extinguindo-se em meados da década de 1980.

Gauchão
1976: 4º do grupo 1, eliminado na fase preliminar
Copa Governador do Estado
1974: 15º lugar
1975: 2º lugar no grupo 5 da segunda fase, garantindo participação no Gauchão 1976
1976: 3º lugar no grupo C da terceira fase.

Copa Cícero Soares (dava vaga ao campeão e ao vice no Gauchão)
1973: 2º grupo 2 da primeira fase

Terceira Divisão: 1980

Segunda Divisão: 1974, 1975 (?), 1976, 1977 (?), 1982, 1983, 1984.


- Associação Santa Rosa de Esportes (ASRE)

Fundada em 10 de março de 1973 pela união de quatro clubes amadores: Aliança, Paladino, Juventus e Sepé Tiaraju (o Juventude já havia encerrado as atividades). Formou-se comissão técnica, que selecionou jogadores da cidade e região. Adil Albrecht, do Juventus, o primeiro presidente da associação. Participou da Primeira Divisão em 1976. O clube durou até 1978.

Gauchão
1976: 6º (último do grupo 6), eliminado na fase preliminar.

Copa Governador do Estado
1974: 5º no grupo B (eliminado na primeira fase)
1975: 3º do grupo 5 da terceira fase (classificado para o Gauchão 1976)
1976: 4º grupo D da terceira fase

Copa Cícero Soares
1973: 5º grupo 4.


- Associação Veranópolis de Futebol

Foi a primeira tentativa de fusão ente os tradicionais Dalban e Veranense, formando em 27 de março de 1973 a Associação Veranópolis de Futebol. Pelo que consta, disputou apenas uma competição: a Copa Cícero Soares no mesmo ano, sendo 4º colocado no grupo 6 da primeira fase, sendo eliminado. Depois, hão há mais notícias de novas disputas. Em 1992, os dois times voltam a se unir, formando o ECRC Veranópolis, presente até hoje e desde que subiu para a primeira divisão em 1993, nunca foi rebaixado.

A equipe teve como presidente uma mulher: Zenaide Maria Boff, que foi alvo de reportagem da Revista Placar (confira abaixo). Clique para ampliar.




- Associação São Gabriel de Futebol

Surgida no dia 11 de abril de 1974 com finalidade de reerguer o futebol na cidade, em baixa nos últimos anos. Seu primeiro presidente foi Clóvis Saccol dos Santos. Seu primeiro jogo foi um amistoso no Silvio de Faria Corrêia com o Inter-SM em 0 a 0. Suas participações constam até o ano de 1976.

Copa Cícero Soares
1974: chegou a segunda fase
1975: chegou a segunda fase

Copa Governador do Estado
1975: 4º do grupo 2 da terceira fase (jogou também o Oriente, também de São Gabriel).
1976: penúltimo da chave 2 da segunda fase (o Oriente foi o lanterna)


- Lajeado Associação de Esportes

Resultado da fusão do Lajeadense e do São José. Foi fundado em 27 de dezembro de 1972. Mandou seus jogos no estádio Florestal (do Lajeadense) enquanto o campo do São José foi comprado pela prefeitura. Jogou um ano na primeira divisão. Consta participações até 1977, quando a associação foi desfeita. O Lajeadense ficou no profissionalismo, enquanto o São José foi para o amador.

Gauchão
1975: 13º lugar

Segunda Divisão
1973: eliminado na primeira fase

Copa Governador do Estado
1973: 20º lugar
1974: 14º lugar
1975: 3º do grupo 9 da terceira fase (garante classificação para o Gauchão 1976, quando a associação foi desfeita e volta o CE Lajeadense)
1976: 4º grupo H da terceira fase

domingo, 17 de janeiro de 2016

Na História: Torrense no futebol profissional

O Grêmio Esportivo Torrense é um tradicional clube amador do litoral norte do estado, conseguindo dois vices campeonatos da tradicional Taça Serramar, que reúnde clubes da encosta da serra e do litoral, em 1991 e 1994. Mas em 1998 decidiu se profissionalizar, entrando na Segundona, conseguindo o acesso para a Série B com o título obtido no hexagonal final.

Na primeira fase da Segundona, o Torrense foi terceiro do grupo Centro com 11 pontos, atrás do Avenida e Canoas e à frente de Pinheiros de Taquari e Cruzeiro. Na segunda fase, novamente ficou na terceira colocação, atrás de Avenida e Juventus e à frente do São Gabriel. Foi para uma repescagem com o Guarany de Bagé em campo neutro, conseguindo vaga ao hexagonal final. Nesta fase, curiosamente, foi contra o Avenida, adversário que sempre ficou à sua frente nas fases anteriores, que obteve uma vitória por 2 a 0 e garantindo o título, em Santa Cruz do Sul. Confira a ficha técnica deste jogo:

Avenida 0 x 2 Torrense - Eucaliptos (Santa Cruz do Sul)
Árbitro: Alexandre Barreto.
Gols: Jairo 13 e Monga 17 do 1º tempo.
Avenida: Alencar, Biga, Serginho, Jarbas e Sávio (Rodrigo); Hernane (Duda), Bagnara, Somavilla, Rogério (Aurélio), Daia e Fábio. Técnico: Paulo Sérgio Poletto
Torrense: Everton, Adriano, Weber, Cleiton; Casca (Tarcísio), Humbetto, Anderson (Rodrigo), Jairo (Paulinho Ceará), Márcio Borges; Monga e André Rosa. Técnico: Paulo Matos

No grupo B da Divisão Especial de  1999, o Torrense foi vice-lanterna do seu grupo com 11 pontos. no mesmo ano, jogou a Divisão de Acesso, amargando a lanterna do grupo sem nenhuma vitória, terminando assim sua passagem pelo profissionalismo.

Mas esta aparição no futebol profissional fez o Torrense disputar dois amistosos com a dupla Gre-Nal, ambas partidas no estádio Riachão, em Torres. Em 1998, o Torrense enfrentou o Grêmio e perdeu por 3 a 2. Confira a ficha do jogo, bem como os gols da partida:

Torrense 2 x 3 Grêmio - Estádio Riachão (Torres) - amistoso - 5/julho/1998
Árbitro: Klaus Matzembacher.
Gols: Coloneti (T) 21 e Guilherme (G) 28/1T; Guilherme (G) 10, de pênalti e aos 19 e Tarcísio (T) 46/2T.
Público: 700 (aproximadamente)
Torrense: Mauro, Clemilson, Rangel (Adriano), Coloneti, Márcio Borges (Anderson), Vanderson, Lucinei (Chiquinho), Otaviano (Rodrigo), André Rosa (Tarcísio), Rossano, Naninho (Arizinho). Técnico: Paulo Matos
Grêmio: Danrlei (Murilo), Valmir, Jorginho (Rodrigo), Scheidt (Èder); Zé Alcino, Tinga, Goiano, Ronaldinho (Evandro Brito), Rodrigo Mendes, Guilherme (Zé Afonso), Danlaba Mendi. Técnico: Edinho


Em 1999 foi a vez do Inter visitar o Torrense no início do ano, com empate em 1 a 1. A ficha do amistoso:

Torrense 1 x 1 Inter - Estádio Riachão (Torres) - amistoso - 23/janeiro/1999
Árbitro: Júlio Ribeiro.
Gols: Márcio Borges (T) 28 e Christian (I) 45/1T.
Torrense: Everton, Adriano, Coloneti, Weber; Tarcísio (Chiquinho), Marcelo, Jones (Vanderson), Jairo (Anderson), Márcio Borges (Otaviano), Rossano (Liqui), Arizinho. Técnico: Paulo Matos.
Inter: André, Denilson, Gonçalves (Lúcio), Régis (Gustavo), Espínola; Anderson (Odair), Claiton (Marcelo), João Santos, Elivelton; Fabiano, Christian. Técnico: Paulo Autuori

O clube voltou ao amadorismo e em 2000 foi campeão da Taça Serramar. Depois, não se ouviu mais falar do clube. Há na cidade de Torres atualmente o Sport Club Torrense, dedicado ao futebol feminino.

sábado, 16 de janeiro de 2016

Na história: futebol no barro e na água

Torcedor gosta de jogador que suja o calção. Reclama daquele que sai com o fardamento limpo do jogo. Parece que não se entregou, não se dedicou ao jogo e ao clube.

Mas isto facilmente pode ser resolvido quando se trata de Campeonato Gaúcho. Barro e chuva são marcas do campeonato. É verdade que com a competição agora findando em maio (para o início do Brasileirão), pouco tem se visto destas características, mais comuns quando o Gauchão atravessava o meio do ano, quando o inverno está a pleno.

Em 1995, Grêmio e São Luiz jogaram pela última rodada da segunda fase do Gauchão no estádio Santa Rosa, em Novo Hamburgo. Como as chuvas castigavam o Estado, o Grêmio, para poupar o gramado do Olímpico, levou a partida para Novo Hamburgo. Já classificado, o Tricolor atuou com time misto. O São Luiz lutava, no grupo 2, pela classificação às semifinais com o Brasil de Farroupilha. O placar ficou em 3 a 3 e o time da Colmeia do Trabalho assegurou a vaga. A partida foi numa quarta-feira à tarde. Confira os gols (exceto o primeiro, que foi do São Luiz, não registrado).


A ficha técnica do jogo:

Grêmio 3 x 3 São Luiz - Estádio Santa Rosa, em Novo Hamburgo (Gauchão 1995)
Árbitro: Wilson Mastela
Auxiliares: Jorge Laureano e Luiz Guaranha
Renda: R$ 1 367
Público pagante: 307
Público não pagante: 96
Público total: 463

Gols: Betinho (SL) 15, Jairo (SL) 18, Alexandre (G) 35 e Edmilson Criciúma (SL), de pênalti, 41/1T; Vágner Fernandes (G) 33 e Vagner Mancini (G) 35/2T.

Grêmio
Silvio; Funé, Vágner, Cristiano, Júlio César (Éder); Dega, Escurinho (Vagner Mancini), André Vieira, Márcio; Nildo, Alexandre. Técnico: Luiz Felipe

São Luiz
Osvaldo; Paulo César, Fábio, Jarbas, Oldi; Nélson, Cristiano Baggio, Betinho (Luciano), Evandro Brito; Edmilson Criciúma, Jairo. Técnico: Pontes


No ano de 1997, Caxias e Ypiranga duelaram na abertura do Gauchão jogando em Torres, litoral gaúcho, no estádio Riachão. Era um sábado, 1º de fevereiro, e como diz o veranista, "caiu um caldo". Mesmo assim, a partida foi confirmada e o futebol virou um "polo aquático".

O Caxias venceu por 3 a 2, mas teve uma baixa: o meio campo Marquinhos sofreu ruptura parcial dos ligamentos do joelho direito e ficou um bom tempo afastado. Confira os gols, exceto o primeiro do Caxias, anotado por Delmer a 40 segundos.


A ficha técnica da partida:

Caxias 3 x 2 Ypiranga - Estádio Riachão, em Torres (Gauchão 1997)
Árbitro: César Pastro.
Renda: R$ 2 020
Público pagante: 404
Expulsões: Vagner (C) e Luciano (Y)

Gols: Delmer (C) 40s, Alex (C) 2 e Sandro Sotilli (Y) 6/1T; Dione (Y) 2 e Sarandi (C) 7/2T.

Caxias
Gilmar; Rafael, Paulo Turra, Ademir e Luciano; Alemão, Vagner, Marquinhos (Maringá), Delmer (Erinaldo); Alex (Sarandi), Elói. Técnico: Ademir dos Reis

Ypiranga
Clodoaldo; Luciano, André Turato, Edu, Toni (Schmidt); Caçapava, Pansera (Vlademir), Dione, Clóvis; Kuki, Sandro Sotilli. Técnico: Guilherme Macuglia

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Na história: dupla Gre-Nal goleada no interior

Que a supremacia da dupla Gremio e Internacional sobre os times do interior é notória e indiscutível. Mas de vez em quando há algum tropeço, e feio. Vamos destacar dois deles.

O início da década de 1980 mostrou o Brasil de Pelotas como a proincipal força do interior, chegando a ser terceiro colocado no Brasileirão de 1985. Em 1983, foi vice-campeão gaúcho e esta posição foi conquistada com uma goleada sobre o Grêmio por 4 a 0, dia 4 de dezembro, um sábado à tarde. Ambos terminaram o hexagonal final na segunda posição com 16 pontos e o regulamento apontava que uma partida extra definiria o vice-campeão. Na ida, em Porto Alegre, foi 0 a 0, em 30 de novembro. Dias depois, o Grêmio seria campeão mundial.

Vamos aos gols do jogo, a partir do minuto 3:05.


A ficha técnica do jogo:

Brasil 4 x 0 Grêmio - decisão do segundo lugar do Gauchão - 3/dezembro/1983
Local: Bento Freitas (Pelotas)
Árbitro: Carlos Sérgio Rosa Martins
Renda: Cr$ 11 789 300,00
Público: 12 840
Gols: Hélio 9, Lívio 26, Zezinho 42 e Lívio 44/2T.

Brasil
Mauro, Ernani, Hélio, Amauri, Bastos; Doraci, Jurandir (Marco Antônio), André; Júnior Brasília, Lívio (Rubão), Zezinho. Técnico: Luiz Felipe Scolari

Grêmio
Beto, Raul, Leandro, Rogério, Ademir; Luis Carlos, Bonamigo (Valdo), Cássio; Lambari, Robson, Tonho. Técnico: Paulo Lumumba

Na década de 1990, o destaque do interior gaúcho era o Juventude. Com a parceria da empresa italiana Parmalat, o alviverde conseguiu o acesso para a Série A do Brasileirão em 1994 e foi campeão gaúcho em 1998, além do título da Copa do Brasil de 1999.

No Gauchão de 1995, foi a vez do Inter ser goleado. No dia 17 de junho, o Juventude goleou por 5 a 1, na última rodada da primeira fase. Confira os gols do jogo, cujas imagens foram editadas.


A ficha técnica do jogo:

Juventude 5 x 1 Inter - Gauchão 1995 - 17/junho/1995
Local: Estádio Alfredo Jaconi (Caxias do Sul)
Árbitro: José Roberto Raach.
Gols: Julinho 19 e 38/1T; Jean Carlo 3, Anderson (I) 15, Julinho 38 e Cuca 46/2T.
Renda: R$ 11 375
Púbico pagante: 2 274
Público não-pagante: 3 849
Expulsão: Paulo Sérgio (J); Argel e Zé Alcino (I)

Juventude
Fábio, Odair, Sandro, Paulo Marcelo, Paulo Sérgio; Galeano, Lauro, Julinho, Jean Carlo (Cuca); Mário, Edson (Baggio); Técnico: Heron Ricardo Ferreira

Inter
César Silva, César Prates, Argel, Ricardo, Vinicius; Anderson, Elson, Marcelo (Caíco), Murilo (Zé Alcino); Paulinho, Nando. Técnico: Cláudio Duarte

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Na História: Guarany de Cruz Alta

A internet pode nos reservar grandes histórias e algumas relíquias. Revirando o You Tube, encontrei uma série de seis vídeos com gols e informações da última grande fase de um tradicional clube do interior: o Sport Club Guarany, da cidade de Cruz Alta. Com este material, vamos resgatar um pouco da história. Os vídeos são reportagens da RBS TV Cruz Alta.

O SC Guarany foi fundado em 20 de setembro de 1913. Jogandio o citadino, ganhou destaque. Em 1924, chegou às sdemifinais do Gauchão, naquela época regionalizado. Mas em 1930 inicia o que seria uma de suas características: os periodos de inatividade. Volta em 1942. Tem novo recesso entre 1966 e 1985. Em 1986 volta e atua até 2001, quando parou e não voltou mais.

O prmeiro vídeo destaca a brilhante campanha do Guarany na Segunda Divisão de 1987, quando conquista o acesso para o Gauchão. Os destques do time campeão são o meio campo Chico Cebola, o atacante Valduíno e o técnico (que também jogou) Celso Freitas. O público prestigiou bastante o clube na caminhada, mantendo o estádio da Taba Índia sempre com grande presença.

Vamos à lista de jogos, acompanhada dos gols. Primeiro, há o registro de um amistoso do Guarany contra o Fortaleza, vencido por 1 x 0. Fortaleza este que creio que seja o de Fortaleza dos Valos, cidade próxima à Cruz Alta. E antes do início do Octogonal final, teve um amistoso contra o Juventude, que venceu por 2 a 1.

Segunda Divisão 1987 (para ver a campanha completa, clique aqui).

Primeira Fase
Guarany 3x0 Ypiranga
Gaúcho 0x1 Guarany
Guarany 1x0 São Luiz
Ypiranga 0x1 Guarany
Guarany 3x0 Santa Bárbara
São Luiz 1x0 Guarany
Guarany 4x0 Taguá
Guarany primeiro do grupo norte com 16 pontos.

Segunda Fase
Guarany 2x1 Gaúcho
Guarany 0x0 Ypiranga
Gaúcho 0x1 Guarany
Guarany 0x1 São Luiz
Guarany primeiro do subgrupo norte com 8 pontos.

Terceira Fase
Dínamo 1x0 Guarany
Guarany 2x0 Tupi
Tupi 2x2 Guarany
São Luiz 1x1 Guarany
Guarany 4x1 Dínamo
Guarany segundo do subgrupo norte/missões com 7 pontos.

Octogonal Final
Guarany de Bagé 1x2 Guarany
Guarany 0x0 Igrejinha
Rio-Grandense de Rio Grande 1x2 Guarany
Guarany 1x1 Guarany de Bagé
Guarany 1x1 Elite de Santo Ângelo
Elite de Santo Ângelo 3x0 Guarany
Guarany 2x0 Rio-Grandense de Rio Grande
Guarany 1x0 14 de Julho (jogo do acesso)

Final
Guarany 2x1 Aimoré (Guarany campeão)


No vídeo 2, há o complemento da reportagem do jogo do título e material bruto (não editado) do jogo do acesso e do título, somente com som ambiente. Para acessá-lo, clique aqui.

No vídeo 3, segue imagens dos bastidores do jogo do acesso (contra o 14 de Julho) e reportagens. A partir do minuto 10, há os gols e sonoras do amistoso do Guarany contra o Trianon, combinado de jogadores famosos, que terminou empatado em 2 a 2.



No vídeos 4 e 5, tem-se a campanha do Guarany no Gauchão de 1988. Dividido em dois grupos de 7 equipes, o clube esteve no grupo A, sendo quinto no primeiro turno (6 pontos) e quarto no segundo (6 pontos). Na classificação geral ficou em nono, que levou o Guarany ao Octogonal da Morte, que apontaria dois rebaixados. Com apenas 9 pontos, amargou a lanterna e caiu, junto com o Brasil de Pelotas.

Vamos aos gols de grande parte dos jogos da primeira fase. Para ver a campanha compelta, acesse aqui.
Grêmio 3x2 Guarany
Guarany 2x1 Brasil
Guarany 2x2 São Paulo
Passo Fundo 1x1 Guarany
Santa Cruz 3x1 Guarany
Guarany 1x0 Pelotas
Inter-SM 2x2 Guarany
Guarany 0x0 Esportivo
Juventude 2x1 Guarany
Guarany 0x0 Inter (começa no vídeo 4 e termina no 5).



No vídeo 5, há os gols de jogos do Octogonal da Morte, bem como gols de algumas partidas da Segunda Divisão de 1989, quando obtém novo acesso. Também contém gols do inócio da campanha do Gauchão 1990. Confira a lista de jogos e gols.

Octogonal da Morte - Gauchão 1988
Guarany 0x0 Lajeadense
Passo Fundo 0x0 Guarany
São Paulo 2x1 Guarany
Guarany 1x2 Esportivo
Guarany 0x1 Aimoré
Brasil 1x0 Guarany
Guarany 2x1 Inter-SM
Guarany 1x2 Passo Fundo
Guarany 1x0 São Paulo
Guarany 3x2 Brasil
Guarany rebaixado.

Segunda Divisão de 1989 (para mais detalhes, clique aqui).
Guarany 2x0 Oriental de Três de Maio
Guarany 2x1 São José de Porto Alegre
Guarany de Bagé 1x0 Guarany
Guarany 0x0 Cruzeiro de Porto Alegre
Guarany 0x0 São Luiz
Grêmio Santanense 0x1 Guarany
Guarany 1x0 Ypiranga
Guarany 1x0 Guarany de Bagé
Guarany 3x2 Guarani de Venâncio Aires (jogo do acesso)
Ypiranga 4x0 Guarany
Guarany sobe como vice-campeão. Ypiranga foi o campeão.

Gauchão 1990 (para mais detalhes, clique aqui).
Inter 2x1 Guarany
Guarany 2x1 Glória
Guarany 1x0 Santa Cruz
Juventude 1x1 Guarany



Finalmente, no vídeo 6 há os demais jogos do Gauchão 1990. A lista é:
Guarany 0x0 Novo Hamburgo
Esortivo 3x0 Guarany
Guarany 1x1 Caxias
Guarany 0x2 Grêmio
Guarany 1x0 Aimoré
Guarany 1x0 Inter
Guarany 1x2 Juventude
Guarany 2x0 Esportivo
Novo Hamburgo 1x3 Guarany
Caxias 1x1 Guarany
Grêmio 3x1 Guarany
Guarany 1x0 Lajeadense
Guarany 2x0 Passo Fundo
Guarany 0x0 Ypiranga
Guarany termina em 7º lugar na classificação geral.



Em 1991, o Guarany termina em 18º; em 1992 em 19º. Em 1993, alcança sua melhor campanha, chegando ao Octogonal Final (apoś passar por duas fases), atingindo a sexta colocação. Em 1994, acabou como 22º (vice-lanterna). O regulamento apontava que do 15º ao 22º formariam a Série B de 1995. Nesta competição, o Guarany chegaria ao Tormeio da Morte, escapando do rebaixamento. No ano seguinte, licencia-se.

Volta em 1998 na Segunda Divisão (que na prática era a Terceira), mas não passa da segunda fase. Em 1999, termina em 3º no Octogonal Final (tendo a participação do co-irmão Riograndense, que termina em 7º).

No ano 2000, chega mais uma vez ao Octogonal Final, mas novamente é terceiro, perdendo o acesso apara o Grêmio Santanense no saldo de gols. Tem mais uma vez a companhia do Riograndense. Em 2001, não passa da primeira fase e acaba por pedir licenciamento, que dura até hoje.

O futebol de Cruz Alta tentou alguns ensaios de retorno. Foi assim em 2004 e 2005, quando o Nacional disputou a Segunda Divisão e a Copa RS. Em 2008, surgiu a Sociedade Esportiva e Recreativa Cruz Alta, resultado da fusão de Guarany e Nacional. Lanterna do seu grupo na primeira fase da Segundona, nunca mais voltou.

Para os saudosistas, um documentário produzido por acadêmicos de jornalismo de uma universidade local traz as lembranças do Guarany. Intitulado "Taba de Memórias", apresneta depoimentos de torcedores, que nutrem a esperança de rever seu time nas tardes de domingo na Taba Índia. O documentário pode ser visto abaixo e tem duração de aproximadamente 30 minutos e tem uma reprise.

Na História: o efêmero Tresmaiense

A cidade de Três de Maio está localizada na região noroeste do Estado do Rio do Grande do Sul. Lá, o futebol é dividido entre o Botafogo e o Oriental, que desde a década de 1960 duelam em um clássico denominado "Botal".

Tanto Botafogo quanto Oriental se aventuraram no futebol profissional, mas nunca atingindo a primeira divisão. Visando unir forças, apesar da rivalidade, surge em 1992 a Associação Tresmaiense de Esportes, que participou da Segunda Divisão em 1992 e 1993, sendo que neste último ano "beliscou" a vaga para a elite.

Em 1992, o Tresmaiense ficou na Chave Missões, ao lado de Atlético de Carazinho, Ipiranga de Sarandi, Santa Bárbara, Três Passos, Flamengo de Horizontina e São Borja, ficando em primeiro, com 20 pontos, 8 vitórias e 4 empates. Para evitar alguma "tensão" na associação, o clube jogava ora no Estádio Estrelão (do Botafogo) como na Baixada (do Oriental).

Na segunda fase os adversários foram Guarany de Garibaldi, Ipiranga, Veranópolis, Atlético e Brasil de Farroupilha, também passando para o Octogonal Final com Brasil-Fa, 14 de Julho de Livramento, Guarany-Ga, Pradense, Igrejinha, São José de Porto Alegre e Guarany de Bagé, quando não teve bom desempenho, ficando apenas na 6a. posição.

Em 1993 a campanha foi consistente, só não sendo ideal pois o acesso não veio. Na primeira fase foi líder da chave Missões com 16 pontos, à frente de Veranópolis, Pratense, Ipiranga, Atlético, Palmeirense e Flamengo. Na segunda fase, o Tresmaiense manteve a primeira posição na Zonal Centro Missões, na disputa com Veranópolis, São José de Cachoeira do Sul, Taquariense, Pratense e São José de Porto Alegre.

Na fase semifinal, o Tresmaiense foi segundo num quadrangumar vencido pelo Taquariense, e à frente de Rio Grande e São José-CS. Vaga garantida para o Quadrangular Final, que garantia dois acessos à primeira divisão. Aí pesou a força de um novo clube, também resultado de uma fusão: o Veranópolis, originado da união de Dalban e Veranense e a tradição do Bagé, o jalde-negro da Fronteira. O Tresmaiense venceu apenas uma partida (1x0 no Taquariense, fora), um empate (1x1 com o Bagé, em casa) e quatro derrotas (0x1 e 0x2 para o VEC, 2x0 para o Bagé e 0x1 para o Taquariense, em casa). Ficou em último no quadrangula, no qual Veranópolis e Bagé subiram.

Por curiosidade, em 1993 o técnico do Tresmaiense era o então novato Nestor Semionatto, que se destacaria mais tarde no Glória de Vacaria e que chegaria a trabalhar no Grêmio, em 2004. Já no Veranópolis o técnico era o também principiante Adenor Bacchi, o Tite, cujo currículo é de conhecimento público. Neste ano foram seis partidas entre Tresmaiense e Veranópolis, com duas vitórias do primeiro (1x0 e 2x1), trẽs do segundo (dois 2x0 e um 1x0) e um empate (0x0).

Vanos resgatar o primeiro destes confrontos, realizado em Três de Maio, em 24 de abril de 1993, vencido pelo Tresmaiense por 1 a 0, gol de Tales. As imagens estão sincronizadas com a transmissão de uma rádio local. Há áudios do autor do gol, além dos técnicos no intervalo. Ao fim, observa-se a reclamação de Tite com a arbitragem.