domingo, 26 de abril de 2015

Placar RS

Gauchão, final, ida
Domingo
Grêmio 0 x 0 Inter


Divisão de Acesso, 1a. fase, 13a. rodada
Sábado
Esportivo 1 x 0 Tupi
Gol: Raul (pênalti)

Nova Prata 1 x 2 Santo Ângelo
Gols: Wagner Libano (NP); Rafinha, Evair (SA)

Glória 2 x 0 Brasil-Fa
Gols: Jajá, Alê Menezes

Domingo
Guarani-VA 3 x 0 Santa Cruz
Gols: Lima, Paulinho-2

Inter-SM 1 x 1 Pelotas
Gols: Chiquinho (I); Vinicius Goiás (P)

São Luiz 2 x 2 Panambi
Gols: Alex Goiano, Mano Garcia (SL); Javier, Alejandro (P)

São Gabriel 1 x 1 Riograndense
Gols: George (SG); Tiago Duarte (R)

Classificação
Grupo 1
1) Glória 28
2) São Luiz 20
3) Santo Ângelo 17
4) Esportivo e Brasil-Fa 16
6) Panambi 15
7) Tupi 14
8) Nova Prata 12

Grupo 2
1) Pelotas 25
2) Guarani-Va 24
3) Inter-Sm e São Gabriel 14
5) Riograndense 11
6) Santa Cruz e Rio Grande 8


Segunda Divisão, 1a. fase, 4a. rodada
Sábado
Barra 0 x 0 Farroupilha

Domingo
Gaúcho 1 x 1 Marau
Gols: Foguinho (G); Felipe (M)

Palmeirense 5 x 0 Garibaldi
Gols: Hiago-2, Welder, Paim-2

Guarany-Ba 2 x 0 14 de Julho
Gols: Kesler, Rafael Paraíba

Grupo 1
1) Palmeirense 9
2) Marau 7
3) Gaúcho 4
4) Sapucaiense e Garibaldi 0

Grupo 2
1) Guarany-Ba 7
2) Bagé 4
3) Farroupilha e Barra 3
4) 14 de Julho 2


Estadual de Juniores A, 1a. fase, 7a. rodada
Sábado
Grêmio 3 x 1 Juventude
Lajeadense 7 x 1 Gramadense
Cruzeiro 2 x 0 União Frederiquense
Novo Hamburgo 1 x 0 Igrejinha
Sapucaiense 1 x 4 Aimoré
São Paulo 2 x 2 Inter
Ypiranga 2 x 2 GAO


Estadual de Juvenis A, 1a. fase, 4a. rodada
Sábado
Cruzeiro 0 x 3 Inter
Grêmio 5 x 1 Esportivo
GAO x Ivoti (adiado)
Novo Hamburgo 1 x 1 União Frederiquense
Caxias x Mundo Novo (adiado)
Progresso x Aimoré
Fragata 0 x 1 Juventude


Estadual de Juvenis B, 1a. fase, 1a. rodada
Sábado
Inter 3 x 2 Guarany de Camaquã
Grêmio 6 x 0 Gramadense


Estadual de Futsal - Série Ouro, 1a. fase
Sábado
Afusca 1 x 2 ADS
ASSAF 2 x 2 ASIF
Cachoeira 6 x 6 América
AGSL 1 x 3 Teutônia


Estadual de Futsal - Série Prata, 1a. fase, 1a. rodada
Sábado
DC Futsal (Jaguarão) 6 x 0 Tupan (Tupanciretã)
Juventude (Caxias do Sul) 6 x 0 AES (Sobradinho)
APEO (Passo Fundo) 0 x 0 Tapejarense
Arsenal (Não-Me-Toque) 5 x 3 União Futsal (Nova Petrópolis)
Lagoa Futsal (Lagoa Vermelha) 1 x 1 Guarany (Espumoso)

Sensação da Segunda Divisão, Palmeirense goleia

Foto: Facebook/EC Palmeirense
Três jogos, três vitórias. Dez gols marcados e nenhum sofrido. Este é o Palmeirense, líder do grupo 1 e sensação da Segunda Divisão. A vítima da vez foi o Garibaldi, que foi batido por impiedosos 5 x 0, no início desta tarde em Palmeiras das Missões. A partida teve início às 14h para fugir da concorrência do Grenal final do Gauchão.

O Palmeirense foi superior nos 90 minutos. Mas o primeiro gol demorou 30 minutos para sair. Numa falta batida por Lima, o zagueiro Hiago cabeceou para marcar o primeiro. Nos acréscimos do primeiro tempo, Lima fez jogada individual e cruzou para Welder pegar de voleio e fazer um belo gol.

Na etapa final, esperava-se um Palmeirense que viria administrando o jogo e esperando o Garibaldi atacar. Mas foi o contrário. Em quatro minutos o placar foi dobrado. Aos 2 João Antônio cobrou falta e Hiago, mais uma vez, meteu a cabeça para anotar 3 a 0. Aos 4, João Antônio bateu escanteio, houve desvio da defesa no primeiro poste; no segundo,  Ledesma devolveu para o meio da área, Welder escorou e Paim, ma entrada da área, bateu firme para marcar o quarto.

Doravante, a partida foi um coletivo de luxo, como se diz. O Palmeirense não forçava mais e o Garibaldi estava nocauteado. Mas no finalzinho, Paim cobrou falta na entrada da área. A bola ainda tocou na trave e balançou a rede pela quinta vez.

Na quinta rodada, o Palmeirense vai à Marau enfrentar o FC Marau. Já o Garibaldi recebe o Sapucaiense. Ambas partidas no domingo (3).


Ficha técnica - Segunda Divisão

Palmeirense 5 x 0 Garibaldi

Local: Estádio Luciano Ferreira Martins, em Palmeira das Missões
Árbitro: Nicolas das Almas
Assistentes: Cristiano Eckert e Rui Renato Vergara Junior
Gols: Hiago 30 e Welder 47/1T; Hiago 2, Paim 4 e 46/2T.

Palmeirense
Daniel; Alisson, Reinan, Hiago, Deivid; Paim, Lima, Oliveira, João Antônio (Alex); Welder (Robert Mamute), Ledesma (Fazor).
Técnico: Betinho

Garibaldi
Yuri; Jardel (Spiassi), Gama, Boschetti, Ezequiel; Cordova, Magoga, Douglas, Lima (Baiano); Alisson, Schmidt (Luis Tiago). 
Técnico: Jesus Silva

sábado, 25 de abril de 2015

Estadual de Juvenis B

Participantes
01 – ARMOUR FUTEBOL CLUBE, de Santana do Livramento
02 – ASSOCIAÇÃO CULTURAL E BENEFICENTE ESTÂNCIA VELHA, de Canoas
03 – ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS FUTEBOL, de Caxias do Sul
04 – ASSOCIAÇÃO GARIBALDI DE ESPORTES, de Garibaldi
05 – ASSOCIAÇÃO NOVA PRATA DE ESPORTES, CULTURA E LAZER, de Nova Prata
06 – ASSOCIAÇÃO ROSÁRIO DE ESPORTES, de Rosário do Sul
07 – CENTRO ESPORTIVO GRAMADENSE, de Gramado
08 – CLUBE ESCOLINHA DE FUTEBOL FLAMENGO, de Alegrete
09 – ESPORTE CLUBE FERRO CARRIL, de Uruguaiana
10 – ESPORTE CLUBE NOVO HORIZONTE, de Esteio
11 – GRÊMIO ESPORTIVO IBIRUBÁ, de Ibirubá
12 – GRÊMIO ESPORTIVO SAPUCAIENSE, de Sapucaia do Sul
13 – GRÊMIO FOOT-BALL PORTO ALEGRENSE, de Porto Alegre
14 – GUARANY FUTEBOL CLUBE, de Bagé
15 – GUARANY FUTEBOL CLUBE, de Camaquã
16 – SOCIEDADE ESPORTIVA E RECREATIVA SANTA ROSA, de Santa Rosa
17 – SOCIEDADE ESPORTIVA NOVO HORIZONTE, de Santa Maria
18 – SPORT CLUB GAÚCHO, de Passo Fundo
19 – SPORT CLUB INTERNACIONAL, de Porto Alegre
20 – TRÊS PASSOS ATLÉTICO CLUBE, de Três Passos
+ quatro equipes eliminadas na 1a. fase do Estadual de Juvenis A 2015.

Primeira Fase
Os clubes foram divididos em quatro grupos. Jogam em dois turnos dentro da chave. Classificam-se os quatro primeiros de cada chave.

GRUPO A
Ibirubá
Santa Rosa
Três Passos
Gaúcho
Novo Horizonte-SM

GRUPO B
Inter
Sapucaiense
Novo Horizonte-EST
Nova Prata
Guarany-CAM

GRUPO
Ferro Carril
Armour
Guarany-Ba
Rosário
Flamengo

GRUPO D
Grêmio
ACB Estância Velha
Gramadense
APAFUT
Garibaldi

1a. rodada
25/4
Inter 3 x 2 Guarany-CAM
Grêmio 6 x 0 Gramadense
29/4
Guarany-Ba x Rosário
6/5
Três Passos x Santa Rosa
Sapucaiense x Novo Horizonte-EST
Estância Velha x APAFUT
Armour x Ferro Carril
21/5
Gaúcho x Ibirubá

2a. rodada
2/5
Novo Horizonyte-SM x Três Passos
Santa Rosa x Gaúcho
Nova Prata x Sapucaiense
Novo Horizonte-EST x Inter
Flamengo x Guarany-Ba
Rosário x Armour
3/5
Garibaldi x Estância Velha

3a. rodada
9/5
Guarany-CAM x Novo Horizonte-EST
Inter x Nova Prata
Gramadense x APAFUT
Grêmio x Garibaldi
Ferro Carril x Rosário
10/5
Ibirubá x Santa Rosa
Gaúcho x Novo Horizonte-SM
Armour x Flamengo

4a. rodada
16/5
Três Passos x Gaúcho
Novo Horizonte-SM x Ibirubá
Sapucaiense x Inter
Nova Prata x Guarany-CAM
Guarany-Ba x Armour
Flamengo x Ferro Carril
17/5
Estância Velha x Grêmio
Garibaldi x Gramadense

5a. rodada
23/5
Santa Rosa x Novo Haorizonte-SM
Novo Horizonte-EST x Nova Prata
Guarany-CAM x Sapucaiense
Rosário x Flamengo
Ferro Carril x Guarany-Ba
APAFUT x Garibaldi
Gramadense x Estância Velha
24/5
Ibirubá x Três Passos

6a. rodada
30/5
Santa Rosa x Três Passos
Guarany-CAM x Inter
Novo Horizonte x Sapucaiense
Ferro Carril x Armour
Rosário x Armour
Rosário x Guarany-Ba
Gramadense x Grêmio
APAFUT x Estância Velha
31/5
Ibirubá x Gaúcho

7a. rodada
6/6
Três Passos x Novo Horizonte-SM
Sapucaiense x Nova Prata
Inter x Novo Horizonte-EST
Guarany-Ba x Flamengo
Grêmio x APAFUT
7/6
Gaúcho x Santa Rosa
Armour x Rosário
Estância Velha x Garibaldi

8a. rodada
13/6
Santa Rosa x Ibirubá
Novo Horizonte-SM x Gaúcho
Novo Horizonte-EST x Guarany-CAM
Nova Prata x Inter
Rosário x Ferro Carril
Flamengo x Armour
APAFUT x Gramadense
14/6
Garibaldi x Flamengo

9a. rodada
20/6
Inter x Sapucaiense
Guarany-CAM x Nova Prata
Ferro Carril x Flamengo
Grêmio x Estância Velha
Gramadense x Garibaldi
21/6
Gaúcho x Três Passos
Ibirubá x Novo Horizonte-SM
Armour x Guarany-Ba

10a. rodada
27/6
Novo Horizonte-SM x Santa Rosa
Três Passos x Ibirubá
Nova Prata x Novo Horizonte-EST
Sapucaiense x Guarany-CAM
Flamengo x Rosário
Guarany-Ba x Ferro Carril
Garibaldi x APAFUT
Estância Velha x Gramadense


Segunda Fase
Os 16 classificados + os 4 eliminados da 1a. fase do Estadual de Juvenis A 2015 (total de 20 clubes) serão divididos em 4 grupos de cinco times. Jogam dentro do grupo em dois turnos. Passam os dois primeiros de cada grupo.


Quartas-de-final
Jogos de ida e volta
GRUPO I
1º Melhor 1º colocado na 2ª Fase x 4º Melhor 2º colocado na 2ª Fase
GRUPO J
2º Melhor 1º colocado na 2ª Fase x 3º Melhor 2º colocado na 2ª Fase
GRUPO K
3º Melhor 1º colocado na 2ª Fase x 2º Melhor 2º colocado na 2ª Fase
GRUPO L
4º Melhor 1º colocado na 2ª Fase x 1º Melhor 2º colocado na 2ª Fase


Semifinais
GRUPO M
1ª melhor campanha por índice técnico desde a 2ª Fase, inclusive a 3ª Fase
x
4ª melhor campanha por índice técnico desde a 2ª Fase, inclusive a 3ª Fase

GRUPO N
2ª melhor campanha por índice técnico desde a 2ª Fase, inclusive a 3ª Fase
x
3ª melhor campanha por índice técnico desde a 2ª Fase, inclusive a 3ª Fase


Finais
Jogos de ida e volta
GRUPO O
Vencedor Grupo M x Vencedor Grupo N

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Súmula de Tupi x São Luiz complicam time de Crissiumal

Grupo de arbitragem deixando o campo com a escolta da Brigada Militar. Foto: Clécio Ruver/Guia Crissiumal.
O árbitro da partida Tupi x São Luiz, realizado no último domingo (19) pela 11a. rodada da Divisão de Acesso trouxe relatos que poderão complicar a equipe de Crissiumal na competição. Evander Bica, que foi auxiliado por Edison Alves da Silva e Renato Ebert Signore, relatou que após o término da partida, o jogador Luquinhas do Tupi empurrou e tentou agredir o assistente Renato Signore e Lucas Santos acabou lhe insultando. Nisto, dirigentes do clube da casa também invadiram o gramado.

Quando da saída do grupo de arbitragem do campo em direção ao vestiário, pedras foram arremessadas por torcedores identificados com o Tupi, segundo o árbitro. Já no vestiário, torcedores tentaram invadi-lo e uma pedra jogada quebrou um dos vidros de uma janela. Rojões foram disparados contra a porta do vestiário. Quando a equipe de árbitros preparava-se para deixar o estádio Rubro Negro, verificou que os pneus do automóvel que os conduziriam estavam esvaziados.

A Brigada Militar precisou escoltar os árbitros, pois depois de sanados o problema com os pneus, mais pedras foram arremessadas. O ônibus da delegação do São Luiz também foi alvo de pedradas.

A súmula pode ser acessada aqui.

O Tupi reclamou bastante da arbitragem de Evander Bica, principalmente em um lance aos 49 minutos do segundo tempo em que o gol que seria da vitória da equipe rubro-negra foi anulado por suposto impedimento. O lance pode ser conferido no vídeo abaixo.

 

Vamos esperar pelos desdobramentos do caso. A palavra está com a FGF.

Meia Diego Torres próximo de acerto para a disputa do Brasileiro

Foto: Fernando Martinez/Aguante Comunicação
O meia Diego Torres definirá seu futuro até o final desta semana. Depois de atuar no Campeonato Gaúcho pelo São José – fez apenas seis partidas porque na estreia sofreu entrada desleal e ficou fora por nove rodadas – o jogador de 29 anos recebeu sondagens de alguns clubes para a disputa do Campeonato Brasileiro, além de já ter em mãos uma proposta oficial. No entanto, o atleta revela o desejo de ter sequência em uma equipe que ambicione algo a mais no segundo semestre.

“Eu quero é poder jogar e ter sequência. Infelizmente me tiraram a chance de fazer um grande Gauchão, mas graças a Deus pelos poucos jogos que tive condições físicas para atuar e no que fiz em anos anteriores, recebi já convites e uma proposta oficial. Como não tenho empresário, o pessoal entra em contato comigo mesmo, como ao menos foram essas situações. Ora treinador, ora diretor dos clubes perguntando. Como não houve acerto algum ainda eu sigo treinando em academia para manter a forma”, revelou.

Natural de Porto Alegre, o atleta calejado no futebol do Rio Grande do Sul não traça um Estado para atuar, porém, deixa claro que o ideal é estar num ambiente salutar e propício, não só para desempenhar seu papel em campo, mas dar uma tranquilidade para sua família. O primeiro filho de Torres, Pedro, nasceu em novembro passado.

“Claro que meu pensamento é totalmente no meu filho e minha esposa. Já rodei alguns times do país e busco agora uma boa estrutura para poder quem sabe ter uma sequência longa. Meu desejo é fazer um bom Campeonato Brasileiro, independente da Série, mas com um clube focado para um acesso, por exemplo. Este ano serão divisões bem competitivas, independente da Série. Um exemplo é a C, só aqui em nosso Estado são três times de tradição que lutam para subir. As equipes do Nordeste também, de torcida forte, com muito apelo na Série B, na maioria já passaram pela Série A. Estão valorizando mais a D, equipes investindo, então quem se preparar mesmo para os acessos, certamente atingirá seus objetivos. Queira Deus que eu faça parte de um desses projetos vencedores”, finalizou.

Aguante Comunicação

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Um campeão gaúcho à espera do retorno

Júlio Battisti levou o Rio Grande ao título da Segunda Divisão Gaúcha em 2014 e atualmente vive a expectativa de treinar um clube do RS

Foto: Fabio Dutra/Jornal Agora
Campeão gaúcho da segunda divisão em 2014 pelo Rio Grande, Júlio Battisti é um dos poucos profissionais a não estar em atividade na atual temporada. Já são seis meses longe do batente, não por vontade própria, mas pela árdua escolha da profissão de técnico de futebol, uma carreira que necessita estar sempre atualizado e buscando aperfeiçoamento. Mas nem os bons resultados conquistados dentro de campo garantem estabilidade no cargo. O último trabalho de Battisti foi pelo Caçadorense, clube da segunda divisão de Santa Catarina, no segundo semestre do ano passado, durante pouco mais de um mês. Dos oito técnicos que avançaram às fases finais na Segunda Divisão no ano passado, por coincidência, apenas o campeão não está na casamata comandando um time do interior do Rio Grande do Sul. Atualmente o profissional convive com a família em Venâncio Aires, onde - no cargo de presidente - levou o EC Guarani ao 5° lugar na Divisão de Acesso, em 2008. Agora busca concluir o curso de Educação Física.

Como você avalia a sua carreira após chegar a uma semifinal da Copa Hélio Dourado comandando o E.C. 14 de Julho, em 2012, e depois levar o Rio Grande para a Divisão de Acesso como campeão da segunda divisão gaúcha em 2014?

Você precisa olhar para trás, sentir-se feliz, agradecido e satisfeito pelo caminho percorrido e é assim que me sinto. Os resultados foram bons, pois em três anos na função, chegamos a duas semifinais, duas finais, com dois títulos conquistados, o que pode ser considerado um tempo promissor.  Mas para que tudo isso tivesse acontecido me preparei muito antes de assumir esse desafio, o que pra mim deve ser o principal estágio de quem deseja iniciar em qualquer área, mas principalmente nessa carreira que possui um nível de exigência e de responsabilidade altíssimo. O futebol evoluiu, hoje não basta um ex-jogador, largar a chuteira, pegar um apito, um quadro magnético e ministrar treinos achando que a prática de anos como atleta pode ser credencial para trabalhar nessa área. É muito mais.

O que é necessário para ser um bom técnico de futebol?

Acredito que o primeiro passo é ter em mente que ser técnico de futebol é mais do que um trabalho, que um emprego. É uma missão nobre e estar certo de que é isso o que realmente se quer. Ser técnico de futebol não é apenas uma aventura. É necessário buscar excelência em tudo, estudar muito, encarar os desafios com boa dose de coragem, mas com alta dose de sabedoria, ir para a arena e estar disposto a pagar o alto preço que o futebol te cobra. Virão tempos difíceis, mas se estiver convicto e preparado, suportará tudo muito bem e logo chegam os tempos de conquistas. Muito importante é estar preparado emocionalmente e precavido financeiramente.

Por que não houve renovação de contrato com o Rio Grande, clube a qual você treinou por duas temporadas e ajudou o torcedor a sentir novamente o gosto de um título após várias décadas?

Foram longos 52 anos de jejum, sem títulos, mas essa espera valeu a pena. Em Rio Grande deixei o meu melhor e sempre trabalhei no limite das minhas forças. Fui leal à instituição, agi sempre com transparência e imparcialidade no vestiário, tratei todos com muito respeito, como sempre faço e isso me faz andar de cabeça erguida. Vejo a continuidade como a chave do sucesso de um clube, do técnico e de sua comissão, se estendendo ao grupo de atletas, mas o imediatismo e a falta de convicção impedem que isso aconteça. Temos bons exemplos de técnicos que ultrapassarm os três anos de trabalho à frente de alguns clubes com ótimos resultados, e cito dois deles: o Rogério Zimermann (Brasil de Pelotas) e o Leocir Dallastra (Ypiranga). Numa conquista como foi a que tivemos no Rio Grande sempre há o desgaste natural, era importante para os profissionais envolvidos na conquista e para o clube ter dado continuidade, mas a diretoria não pensou assim e resolveu fechar o futebol, então seguimos nosso caminho. Foram 14 meses de trabalho em que fui muito feliz, grato ao clube, à diretoria, torcedores e imprensa local, mas a missão estava cumprida no momento em que a competição acabou e recebemos o anúncio do fechamento do departamnto de futebol.

Como explicar que um técnico considerado promissor, com bons resultados em tão pouco tempo, possa ficar por um período tão longo em inatividade?

Não sou o primeiro e não serei o último a passar por tal situação, pois infelizmente o futebol não é um esporte de justiça. Os títulos, as vitórias e as conquistas são facilmente esquecidas e o profissional sai do mercado numa velocidade impressionante. A mim cabe me preparar, continuar meus estudos, evoluindo e aguardar algum convite oficial que venha ao encontro dos conceitos e objetivos que prezo para o futebol. Temos vários exemplos de colegas que ficaram fora do mercado logo após uma conquista, mas que se fortaleceram, melhoram e retornaram realizando grandes trabalhos.

E dá para aproveitar esse período ausente da casamata?

Para mim nada supera estar no campo orientando, vendo as falhas e corrigindo, pegar um atleta com alguma deficiência, começar a treiná-lo e perceber sua evolução, isso para mim é um momento mágico, o ápice do dia. Mas quando decidi encarar a área técnica, que adiei por mais de vinte anos, sabia que enfrentaria essa dificuldade, mas não imaginava ficar tanto tempo afastado. Mesmo assim é um período importante para reconstruir novos modelos de treinos, estudar sistemas táticos que se desenvolvem rapidamente, assistir a jogos, aprimorar métodos e continuar aguardando sem resignação e acima de tudo ter a certeza de que temos, cada vez mais, muito a oferecer ao futebol. Tenho aproveitado bem sim, pois são 7 a 8 horas dia estudando tudo o que norteia o dia a dia de um vestiário, desde a parte física, técnica e tática, passando pela nutrição, fisiologia, até a medicina esportiva.

Houve propostas após sua passagem pelo futebol catarinense?

Apenas sondagens de fora do Estado, que agradeci e não evoluíram para uma proposta oficial. Meu foco está em terminar a faculdade de Educação Física que tracei como uma das prioridades na carreira e que foi prejudicada com minha saida do RS ano passado, mesmo que, por apenas 40 dias. Esperava mesmo algum convite aqui do Estado, até porque tão logo fomos campeões recebi informações que meu nome estava bem cotado em alguns clubes da 1ª divisão, o que acabou não se concretizando. Mas sinto que esse momento vai chegar no tempo oportuno. Agora, repensando friamente e presenciando o que está acontecendo aqui no Estado em relação à minha área, meu objetivo já mudou e caso venha convite de fora do RS devo aceitar.

Para finalizar, como conhecedor do futebol do Estado, qual é a sua avaliação sobre as competições realizadas no futebol gaúcho, nas três divisões?

Positiva, evoluímos em termos de formatação, da fórmula de disputa, o nível técnico das equipes melhorou muito e, com a diminuição dos clubes da 1ª divisão, teremos uma divisão de acesso e a segundona fortalecidas e equilibradas. A nossa 1ª divisão tornou-se um dos melhores estaduais do país, com ótimos recursos financeiros destinados aos clubes, o que dá uma sustentação existente em poucos Estados. Vejo a fórmula de disputa da Segundona muito promissora, principalmente no quesito limitação da idade sub-23, o que oportuniza atletas jovens e acaba diminuindo os custos dos clubes. Contudo, ainda carecemos de uma melhor organização nessa competição, mas que está se encaminhando. A divisão de acesso está consolidada, atrativa.

Texto: RB Assessoria de Comunicação e Imprensa

Técnico destaca grupo na primeira vitória no comando do Gaúcho

Grupo do Gaúcho, de Passo Fundo, que disputa a Segunda Divisão. Foto: divulgação
O Gaúcho conquistou a primeira vitória na Terceirona Gaúcha. Fora de casa, a equipe bateu na tarde desta terça feira, 21, o Garibaldi, por 3x0, com dois gols de Cristiano e um de Léo. O comandante Júlio César Nunes destacou a importância coletiva nessa vitória.

"Tivemos um pênalti contra logo no início de jogo. Nosso goleiro defendeu e nossa equipe acabou crescendo na partida. Fizemos um jogo muito bom, com o time controlando as ações no duelo. O grupo soube muito bem aplicar o que foi passado durante a semana. É um elenco comprometido e aposto bastante no nosso acesso. Ainda temos alguns detalhes a acertar, mas confio em todos os nossos jogadores e essa vitória de hoje se deve muito a eles. A vitória era necessária após a derrota na estreia e vamos continuar  trabalhando forte para encarar o Marau, no fim de semana", disse.

Na próxima rodada, o time de Passo Fundo joga contra o Marau, em casa, às 16h.

Assessoria de imprensa do treinador Júlio César Nunes (Gaúcho)

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Placar RS

Divisão de Acesso, 1a. fase, 12a. rodada
Quarta
Nova Prata 2 x 1 Tupi
Gols: Crlos Alberto, Bottin (NP); Fábio Buda (T)

Panambi 1 x 2  Brasil-Fa
Gols: Anderson Catatau (P); Marques-2 (B)

Esportivo 2 x 2 Glória
Gols: Rafael Xavier, Bággio (E); Luiz Fernando, Alê Menezes (G)

São Luiz 1 x 0 Santo Ângelo
Gol: Elias

Pelotas 2 x 1 Riograndense
Gols: Adilson Bahia-2 (P); Rangel (R)

São Gabriel 0 x 0 Guarani-VA

Quinta
Rio Grande 1 x 2 Santa Cruz
Gols: Edinei (RG); Juninho-2 (SC)

Classificação
Grupo A
1) Glória 25
2) São Luiz 19
3) Brasil-Fa 16
4) Santo Ângelo, Tupi e Panambi 14
7) Esportivo 13
8) Nova Prata 12

Grupo B
1) Pelotas 24
2) Guarani-VA 21
3) Inter-SM e São Gabriel 13
5) Riograndense 10
6) Rio Grande e Santa Cruz 8


Segunda Divisão, 1a. fase, jogo atrasado da 2a. rodada
Quinta
Marau 3 x 0 Garibaldi
Gols: Rafael-2, Joãozinho

Classificação
Grupo A
1) Palmeirense e Marau 6
3) Gaúcho 3
4) Sapucaiense e Garibaldi 0

Grupo B
1) Guarany e Bagé 4
3) Farroupilha, Barra e 14 de Julho 2


Estadual de Juniores, 1a. fase, jogos atrasados da 4a. rodada
Terça
Cruzeiro 1 x 1 Inter

Quarta
São Paulo 0 x 1 Juventude


Estadual de Juvenis A, 3a. rodada
Terça
Encantado 2 x 1 Caxias

Quarta
Inter 6 x 0 Novo Hamburgo
Ivoti 1 x 5 Grêmio
Aimoré 2 x 2 GAO
Juventude 0 x 0 Cruzeiro
Esportivo 2 x 4 Fragata
União 0 x 0 São José

terça-feira, 21 de abril de 2015

SER Santa Rosa almeja Série A do Gauchão em 2021

Em entrevista ao programa Cia da Noite da Rádio Progresso de Ijuí na noite desta última sexta-feira (17), o diretor da SER Santa Rosa Carlos Farias deu informações relevantes sobre as pretensões do novo clube do estado no cenário do futebol local.

Primeiramente esclareceu que a SER Santa Rosa nada tem a ver com o Juventus AC, que está licenciado devido a problemas financeiros. A parceria foi realizada com outro clube da cidade, a SER Juventus, que foi fundado em 2001 e fechado dois anos depois. Assim, trocou-se o nome do clube de SER Juventus para SER Santa Rosa, mantendo o CNPJ. O esclarecimento é importante pois alguns credores do Juventus AC estavam cobrando o novo time, que são entidades diferentes.

Havia uma expectativa que a SER Santa Rosa jogasse a Segunda Divisão do Gauchão (de fato a terceira divisão), mas esbarrou em dificuldades impostas pela Federação Gaúcha de Futebol para filiar novas entidades. O clube irá sim disputar o profissional atuando na Copa FGF, no segundo semestre.

Farias apontou objetivos ousados, porém claros para a SER Santa Rosa. Pretende em 2021 estar na Série A do Gauchão, sendo tendo como prazo de dois anos a estada na Segunda Divisão (para formação do time) e depois de subir para a Divisão de Acesso, lutar por uma vaga na elite estadual.

O clube observa alguns cuidados na formação da equipe. Formará um elenco sub-17, para disputa de competições estaduais e os que tiverem idade de juniores, serão profissionalizados. Assim, o plantel profissional será formado na casa, com atletas locais e da região.

Com relação a patrocínios, a SER Santa Rosa não pretende ter empresários de futebol por trás, sendo a gestão dos atletas do próprio clube. Conta com o apoio da prefeitura, que dentre outros cederá o estádio Carlos Denardin para a disputa dos jogos. Têm fechado contrato com 50 patrocinadores, que pagam 200 reais por mês (com nomes nos muros do estádio e placas de publicidade), além de quatro apoiadores que pagam um valor maior para ter o nome na camisa de jogo. Carlos Fortes ainda disse que busca um apoio forte de uma empresa italiana visando intercâmbio de jogadores.

Seu quadro de sócios apresenta atualmente 400 nomes. Além disso, para atuar nas suas escolinhas, cada atleta paga 25 reais mensais, sendo seus responsáveis (pais) automaticamente sócios do clube. É outra forma de arrecadação do clube.

Mirando o Barcelona como exemplo, a SER Santa Rosa mantém a mesma filosofia de esquema de jogo desde as categorias de base até o profissional, que será comandado pelo ex-jogador do Pelotas e dupla Ca-Ju Jair Rodrigues, o Jajá.

Para reforçar o elenco profissional para o segundo semestre, o clube buscará entre 12 a 15 jogadores de fora que comporão o plantel junto com o pessoal da base. Farias também têm consciência que os resultados podem não vir de imediato, mas se o trabalho estiver sendo bem feito, os profissionais da comissão técnica serão mantidos.

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Após período com Tite no Corinthians, Gilmar Dal Pozzo está pronto para novo desafio

Foto: Daniel Augusto Jr.
A expressão ‘período sabático’ não foi criada pelo técnico Adenor Bacchi, o Tite. Porém, nos últimos tempos, ao menos entre os profissionais do futebol, é ele quem propaga a ideia de buscar aprendizado sem acomodar-se. Neste modelo, outro representante da área realizou estudos através de cursos, experiências externas e deu um tempo no vestiário para poder qualificar-se. Nesta semana, Gilmar Dal Pozzo encerrou um ciclo de meio ano afastado do comando de um clube para seu aprimoramento. E justamente ao lado daquele que é considerado por muitos o melhor treinador do Brasil na atualidade, no Corinthians. De segunda-feira (13) a quarta-feira (15) sua rotina foi acompanhar aos treinamentos no CT Joaquim Grava, somar conhecimento e abordar variáveis na composição de uma equipe.

    “Tracei um planejamento de carreira com minha família e meu empresário para que fosse possível aprimorar. Então desde o final do ano passado, como até já citei em algumas oportunidades, realizei cursos de gestão e busquei ampliar os horizontes. O Tite me abriu as portas da casa dele e do Corinthians. Além de ser muito bem tratado no clube por todos, pude acompanhar inovações, discutir variáveis táticas que ele trouxe do Real Madrid, participar das atividades diárias e ver na prática as questões teóricas. Foi melhor ainda do que eu imaginei. Todo o momento de diálogo era voltado ao futebol, então o uso do 4-1-4-1 no Brasil, os sistemas 4-2-3-1 e o tradicional 4-4-2 que tem suas peculiaridades, marcação por setor como gosto de trabalhar, não só compactando o time em linhas de 20, 30 metros para marcar, mas como também para jogar, enfim, equilíbrio e conhecimento ditaram o ritmo esses dias”, assegurou Dal Pozzo.

Amigos desde o início da década de 90, o ex-goleiro é o jogador que mais foi comandado por Tite até então, em sete temporadas. O trabalho que coroou esta etapa foi o título gaúcho com a SER Caxias, em 2000, em cima do Grêmio de Ronaldinho Gaúcho na final. Após consagrar-se na Chapecoense, sendo o treinador responsável por levar o time da Série C até a Série A do Campeonato Brasileiro, passou também pelo Criciúma. De lá para cá, recebeu convites de tradicionais clubes nordestinos, mas optou por seguir com a ideia dos estudos.

    “Tive os convites em momentos distintos do Fortaleza, Santa Cruz, ABC e Sampaio Corrêa. Times de grande apelo popular, com torcidas fanáticas, bons para trabalhar. Agradeci e todos entenderam, pela verdade empregada em cada contato. O Paysandu também procurou, assim como o Caxias, pela minha trajetória lá. Clubes com história. Fico feliz em ter podido esperar por conta deste desejo de crescimento, porque hoje me vejo um profissional melhor, com mais qualificação e pronto para um novo desafio. A estrutura do Corinthians é de excelência e tenho gratidão por esta semana que passei lá”, assegurou.

De volta a Florianópolis, onde fixou residência, Dal Pozzo acompanhou pela televisão na noite desta quinta-feira (16) o Corinthians garantir a melhor campanha do Grupo 2 da Taça Libertadores da América ao ficar no 0 a 0 com o San Lorenzo.

Ficha técnica
Gilmar Dal Pozzo
Data de nascimento: 01/09/1969
Local: Quilombo/SC
Cargo: Treinador
Clube atual: –

Clubes
Veranópolis/RS (2008)
Pelotas/RS (2008)
Veranópolis/RS (2009-2010)
Novo Hamburgo/RS (2010)
Pelotas/RS (2010-2011)
Veranópolis/RS (2011-2012)
Chapecoense/SC (2012-2014)
Criciúma/SC (2014)

Títulos
– Taça SC (2014)
– Copa FGF – Taça Lupi Martins (2008)

Conquistas pessoais
- Único treinador no país a ascender duas divisões seguidas com a mesma equipe (2012-2013)
- Acesso para a Série A do Campeonato Brasileiro (2013)
– Top da Bola/SC – Troféu de Prata (2013)
– Vice-campeão do Campeonato Catarinense (2013)
– Acesso para a Série B do Campeonato Brasileiro (2012)
– Campeão do Interior – Gauchão (2008)

Aguante Comunicação

domingo, 19 de abril de 2015

Destaque pelo Novo Hamburgo, Crispim agradece companheiros e revela propostas

Crispim atuando com a camisa do Novo Hamburgo. Foto: Fernando Martinez/Aguante Comunicação 
O meia-atacante Crispim chamou atenção de quem acompanhou os jogos do Novo Hamburgo durante o Campeonato Gaúcho deste ano. Ambidestro de origem, o atleta não se intimidou com defesas adversárias e muitas vezes apareceu como último homem do ataque anilado, dada sua versatilidade. Eliminado para o Grêmio, nas penalidades máximas, na última semana, o jogador aguarda agora a sequência de sua carreira. Desde o final de 2014 vestindo a camiseta do clube, onde também se destacou na Copa FGF, o momento é de analisar propostas que estão chegando.

    “Fico feliz com o reconhecimento e com as atuações neste Gauchão. Sempre trabalho pensando em dar meu melhor e graças a Deus tenho conseguido. Infelizmente ficamos fora das decisões, mas todo grupo do Novo Hamburgo está de parabéns, porque caímos de cabeça erguida, nos pênaltis para um dos favoritos ao título que é o Grêmio. Meu empresário me passou algumas questões que já chegaram e espero poder dar um passo importante na minha trajetória”, afirmou.

No dia oito de abril Crispim completou 21 anos. Uma década de sua vida foi dentro das categorias de base do clube de sua cidade natal, Criciúma, onde se destacava nas competições estaduais. Sua velocidade e bom futebol faziam com que o profissional muitas vezes figurasse com as equipes acima da sua idade. Ao lado de nomes experientes no futebol, destacou o importante aprendizado nesse período no Estádio do Vale.

    “Olhar para o lado e ter o Magrão, Bolívar, Luiz Mário, caras campeões do Brasil, da América, além do Roger Machado, nosso treinador, isso dá muita motivação. Ouvir deles palavras de incentivo e apoio também, elogiando meu desempenho, mostra que estou no caminho certo. Se Deus quiser as portas seguirão abrindo pela frente. Tenho muito que agradecer este tempo de Novo Hamburgo e certamente levarei comigo nas próximas etapas”, finalizou.

Aguante Comunicação

sábado, 18 de abril de 2015

Placar RS

Gauchão, semifinais, volta
Sábado
Grêmio* 2 x 1 Juventude
Gols: Luan 28/1T e Geromel 30/2T (G); Douglas 45/1T (J)

Domingo
Inter* 3 x 1 Brasil
Gols: Alex 11, Valdivia 16 e Rafael Moura 34/2T (I); Márcio Jonatan 40/2T (B)
(*) finalistas


Divisão de Acesso, 1a. fase, 11a. rodada
Sábado
Brasil-Fa 0 x 1 Esportivo
Gol: Bággio

Domingo 
Glória 0 x1  Nova Prata
Gol: Carlos Alberto

Santo Ângelo 4 x 1 Panambi
Gols: John Lennon, Charles, João, Ismael (SA); Maurício (P)

Tupi 1 x 1 São Luiz
Gols: Fábio Buda (T); Alex Goiano (SL)

Santa Cruz 1 x 2 Pelotas
Gols: Maicon Santana (SC); Vinicius Goiás, João Emir (P)

Rio Grande 1 x0  Inter-SM
Gol: Edinei

Riograndense 0 x 1 Guarani-VA
Gol: Dagoberto

Grupo A
Pos.EquipePGJVEDGPGCSG
1Glória241180319910
2São Luiz161144312120
3Santo Ângelo14114251113-2
4Tupi141135312111
5Panambi14113531517-2
6Brasil-Fa1311344911-2
7Esportivo12103341011-1
8Nova Prata9102351115-4

Grupo B
Pos.EquipePGJVEDGPGCSG
1Pelotas2196301138
2Guarani-VA2010622954
3Inter-SM13103431385
4São Gabriel1292611091
5Riograndense1093151114-3
6Rio Grande810226615-9
7Santa Cruz591261218-6


Segunda Divisão, 1a. fase, 3a. rodada
Domingo
Sapucaiense 0 x 2 Palmeirense
Gol: Welder-2

14 de Julho 1 x 1 Barra
Gols: Thomaz (14); Léo Muniz (B)

Farroupilha 0 x 0 Bagé

Terça 
Garibaldi 0 x 3 Gaúcho
Gols: Cris-2, Léo

Grupo A
Pos.EquipePGJVEDGPGCSG
1Palmeirense62200505
2Marau31100101
3Gaúcho32101330
4Sapucaiense0200203-3
 5      Garibaldi                                                                0     1      0      0     1      0     3      -3


Grupo B
Pos.EquipePGJVEDGPGCSG
1Guarany42110202
2Bagé43111431
3Barra22020110
4Farroupilha22020110
514 de Julho2302136-3


Estadual de Juniores, 1a. fase, 7a. rodada
Sábado
Igrejinha 1 x 3 Grêmio
GAO 1 x 2 Novo Hamburgo
Aimoré 2 x 1 Cruzeiro
Veranópolis 2 x 1 São Paulo
União 2 x 4 Lajeadense
Juventude x Sapucaiense
Inter x Ypiranga (será em 13/5)


Estadual de Juvenis, 1a. fase, 2a. rodada
Sábado
Inter 3 x 1 São José
Ivoti 1 x 1 Fragata
Encantado 2 x 1 Progresso
Esportivo 2 x 2 Cruzeiro
União 1 x 2 Caxias
Juventude 0 x 1 Novo Hamburgo
Aimoré x Grêmio (será em 29/4)
Mundo Novo x GAO (será em 12/5)